POLÊMICA | Airton Garcia questiona: “onde estava o advogado durante o escândalo dos cheques sem fundos”

A polêmica entre o prefeito de São Carlos, Airton Garcia, e o ex-diretor do Procon, o advogado Joner Nery, parece que está longe de um final e teve mais um capítulo na última sexta-feira (3).

Em seu Facebook, Airton questionou o profissional que denunciou a possível utilização de veículo oficial por uma funcionária, em cargo de confiança, onde teria levado o marido e filho até a capital paulista.

O prefeito escreveu que muitas de suas declarações sobre tal denuncia tomaram as manchetes dos jornais na semana passada. “Claro que eu me indignei, pois é uma questão pequena que está tomando proporções gigantescas, com o claro objetivo de desgastar o meu governo”, disse.

Airton continua: “sabe qual era uma questão que realmente merecia todo o alvoroço que esse advogado está causando e que ele não denunciou? A fraude do desvio dos 375 mil reais, na figura dos pelo menos dez cheques sem fundo que foram retirados do cofre da prefeitura!”, escreveu.

O prefeito questionou também “onde estava esse advogado durante essa pouca vergonha?”.

“A resposta é simples e explica o porquê de agora ele querer desmoralizar o novo governo. Este advogado, na época, era funcionário comissionado da prefeitura! Assim como a senhora que fez a denúncia, que era diretora de escola, e que é integrante do partido da ex-administração. Ou seja, mais bezerros que foram desmamados e que não se conformam e agora ficam procurando pequenas questões para denegrir a imagem de pessoas que estão realmente comprometidas em trabalhar por São Carlos”, atacou.

Airton relatou que “os bezerros desmamados berram muito quando ficam sem leite. E esse advogado é apenas mais um dos muitos que ainda vão chorar porque não podem mais mamar às custas do povo. São Carlos só chegou no caos em que pegamos a administração por causa de gente assim, que se calava diante de escândalos reais desde que pudesse continuar tendo vantagem. E agora que a fonte secou e eles foram afastados do governo, ficam inventando problemas para assustar a população”, escreveu.

Ele ressaltou que não tem medo de falsos idealistas e que se tornou prefeito também para desmascarar esses tipos. “Quis ser prefeito para acabar com a gastança de dinheiro público. Por exemplo, uma das minhas primeiras decisões foi leiloar dois dos três carros que eram usados para viagens justamente para evitar gastos desenfreados. Eu sigo trabalhando por São Carlos enquanto eles continuam querendo atrasar a cidade como atrasaram enquanto estavam no poder. A época da bandalheira passou. Agora São Carlos tem prefeito”, finalizou.

Deixe uma resposta