SANEAMENTO | ETE evita que 54 toneladas mensais de cargas orgânicas sejam lançadas em córrego

Inaugurada no ano passado, a Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) de Ibaté trouxe benefícios para a cidade, principalmente na questão de saúde pública e despoluição de rios, pois com isso foram deixadas mais de 54 toneladas mensais de cargas orgânicas, provenientes desse esgoto, de ser lançadas in natura no córrego Boa Vista.

A construção da nova ETE de Ibaté passou a atender parte do bairro São Benedito, Jardim Popular, Nosso Teto, Encanto do Planalto, Jardim Esfer, Jardim Cruzado I e II e Jardim América. “Esses bairros correspondem à parte dos 50% que ainda não possuíam tratamento de esgoto. Com a conclusão da obra, a cidade passou a tratar 100% do seu esgoto”, comemorou o prefeito José Luiz Parrella (PSDB).

A obra inteira foi contemplada com a construção de três Estações Elevatórias de Esgoto, três Linhas de Recalque, três Linhas por Gravidade, Estação de Tratamento de Esgoto e Emissão de Jusante.

O interessante que com a nova ETE, agora a cidade, que atualmente conta com mais de 30 mil habitantes, tem um sistema de tratamento de esgoto que suporta uma população de mais de 70 mil pessoas. “Pensando no crescimento da cidade, coma chegada de novas indústrias o que atrai também novos moradores, Ibaté está preparada para continuar evoluindo, temos um sistema de tratamento de esgoto com a capacidade do dobro que pessoas que residem em Ibaté hoje, o que nos deixa tranquilo para pensar em expansão do município”, ressaltou Zé Parrella.

O prefeito de Ibaté destaca que foi uma obra de extrema importância para o município, pois além de ser um item necessário para que as empresas se instalem na cidade, também preserva o meio ambiente, sem contar a saúde pública. “Além de preservar o meio ambiente deixando de despejar toneladas de cargas orgânicas no córrego Boa Vista, ainda é uma obra que beneficia a saúde pública, sem contar que as empresas procuram as cidades que têm o esgoto 100% tratado para se instalarem”, observou.

Para que a nova ETE ficasse pronta, foi necessário um trabalho em conjunto dos últimos gestores, e isso só aconteceu devido a continuação das ideias. “Eu quando fui prefeito nas vezes anteriores adquiri a área para a construção da ETE. durante as gestões do Dr. Alessandro Magno de Melo Rosa (PSDB) e da ex-prefeita Lu Spilla (PSDB), que não mediram esforços até conseguir iniciar a tão importante obra. Um verdadeiro trabalho de equipe, que começou comigo, teve o convênio assinado pelo Dr. Alessandro e as obras iniciadas pela Lu Spilla. Uma importante conquista para a nossa cidade que vem beneficiando a todos, sem distinção”, enfatizou.

Estimada em aproximadamente R$ 11 milhões, a obra faz parte do programa “Água Limpa”, por meio da implantação do sistema de tratamento de esgoto em cidades com até 50 mil habitantes, um convênio firmado entre a Prefeitura de Ibaté e a Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Estado de São Paulo.

Deixe uma resposta