VAI INDO BEM | Santa Casa abre investigação para apurar suposto erro cometido contra gestante na Maternidade

Depois de mortes de gestantes na maternidade da Santa Casa, mais um caso polêmico termina com o afastamento de uma enfermeira que trabalha no local. Segundo uma denunciante que entrou em contato com o portal, sua cunhada estava internada na maternidade do hospital desde quinta-feira. “ Nessa noite uma enfermeira do plantão foi até seu quarto aplicar medicamentos de rotina”, disse.  

A denunciante alega que em sua opinião um erro foi cometido. “Ela além de aplicar a injeção na pessoa errada, aplicou no local errado. Era para enfermeira aplicar uma injeção para outra paciente do quarto que deu à luz por parto normal, mas ela acabou aplicando em minha cunhada que teve parto cesariana e ao invés de aplicar nas nádegas (que segundo outras enfermeiras era o correto) ela aplicou na veia”, revelou.

A internauta relatou o drama de sua cunhada. “O que aconteceu? Minha cunhada comeu a passar muito mal, transpirando frio, com tonturas entre outros sintomas, no momento minha mãe foi avisar a enfermaria”, destacou. “Todos no quarto entraram em pânico”, emendou.

Segundo a denunciante, isso não pode ocorrer. “Tudo bem podemos dizer que errar é humano, mas não podemos admitir que uma pessoa com uma formação na área e experiência vá cometer esse tipo de erro, não perguntando qual o seu nome, não é? Não sabendo o local a ser aplicado a injeção.  Seria falta de atenção? Seria falta de experiência? Ou até mesmo falta conhecimento na área? Agora minha cunhada está sobre observação e bem, mas se tivesse uma complicação maior? Se ela tivesse perdido a vida? Até quando vamos passar por tudo isso? Até quando profissionais da área vão trabalhar por amor e com atenção e dedicação ao que faz? Até quando iremos ver notícias tristes de mães que deixaram seus filhos?”, perguntou.

Ela cobrou maior atenção dos governantes e também da direção do hospital

Santa Casa afasta funcionária

A Administração da Santa Casa de São Carlos abriu sindicância interna para apuração dos fatos para identificar se ocorreu quebra no protocolo de segurança do paciente no atendimento da Maternidade.

Independentemente dessa ação, a coordenação de Enfermagem afastou a funcionária de suas funções diante da denúncia.

(São Carlos em REDE)

Deixe um comentário