SÃO CARLOS | Reunião discute implantação da entrega de medicamentos em domicílio

O presidente da Câmara Municipal, vereador Julio Cesar (Democratas), se reuniu na manhã desta sexta-feira (28) com o Secretário Municipal de Saúde, Carlos Eduardo Colenci, e a farmacêutica bioquímica da Prefeitura, Sandra Regina Peixoto, para discutir a implantação da Lei nº. 18.112/2017, que garante entrega gratuita domiciliar de medicamentos de uso contínuo às pessoas com deficiência motora, multideficiência pro­funda, com dificuldade de locomoção e idosos.

A Lei, de autoria de Julio Cesar, havia sido aprovada por unanimidade na Câmara Municipal em sessão plenária do dia 28 de março e em 21 de abril foi publicada no Diário Oficial do Município após sanção do prefeito.

Na ocasião, o presidente da Câmara apontou a necessidade de que a legislação seja colocada em prática. “Nós sabemos que isso ocorrerá de forma gradativa, pois é um processo complexo de logística, mas o importante é que seja dado o início e que aos poucos os medicamentos necessários sejam entregues no domicílio dessas pessoas que não têm condições mínimas de buscá-los”.

O secretário de Saúde agradeceu Julio Cesar pela iniciativa e por se colocar à disposição em ajudar no que for preciso para que o programa entre em prática. “A Câmara tem se mostrado parceira da Secretaria da Saúde na busca de soluções para melhorar o atendimento à população. A ideia do prefeito Airton e da Secretaria de Saúde é que a proposta saia da letra fria da lei para o gesto concreto em benefício da população”, afirmou Carlos. Durante a reunião, ele também esclareceu que o serviço será implementado de forma gradual e contínua, inicialmente por meio dos correios e dos agentes comunitários de saúde.

O presidente do Legislativo destacou que ficou feliz em saber que existe interesse e comprometimento da Prefeitura, da Secretaria de Saúde e dos funcionários responsáveis pelo setor municipal farmacêutico para que a legislação seja efetivada. “Independente de ser de minha autoria, o importante é que a Lei seja aplicada e que as pessoas que necessitam recebam o medicamento”, disse.

Deixe uma resposta