SÃO CARLOS | Parcerias com Ministério da Saúde e Santa Casa podem ampliar e melhorar atendimento

 

O secretário de Saúde, Caco Colenci, esteve nesta semana, em Brasília, visitando vários departamentos do Ministério da Saúde. A visita foi para entender qual a relação que São Carlos tem com o Ministério e como a cidade pode usufruir de programas e projetos oferecidos pelo Governo Federal.

Caco Colenci conversou com técnicos do posto de atendimento básico, de cirurgias eletivas, credenciamento, teto e extra-teto, além do SAMU. “Nós temos muito potencial para ser explorado. Precisamos nos organizar para aumentar e buscar esses potenciais de investimento para a cidade. Nós podemos ampliar o número de unidades da saúde da família, melhorar o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO), ter um centro de referência de reabilitação, um SAMU mais regionalizado, com mais recursos, por exemplo. São vários programas e projetos que o Ministério da Saúde oferece que São Carlos ao longo do tempo perdeu ou deixou de buscar”, concluiu Colenci.

O secretário também participou de uma reunião com diretoria da Caixa Econômica Federal e da Santa Casa onde foi discutido um empréstimo para a reestruturação financeira da Instituição.

UPA 

A Secretaria de Saúde continua trabalhando para resolver o problema de falta de médicos na cidade. O atendimento de urgência e emergência na UPA da Vila Prado está sendo fortalecido com uma escala reforçada para que não faltem médicos nos plantões. “Na parte administrativa, nós estamos empenhado na realização de um concurso público, no credenciamento público para contratar médico através de RPA, numa ata de registro de preço para buscar empresas para repor os médicos da rede de urgência e emergência e em mais uma parceria da Santa Casa”, informou o secretário de Saúde, Caco Colenci.

Segundo ele, a crise econômica e o desemprego, fizeram as pessoas migrarem dos convênios particulares para a rede pública de saúde. “Há um aumento escalonado e crescente na procura pela rede pública. Notamos isso na UPA, na Santa Casa e no Hospital Universitário. Se no passado, 55% da população tinha convênio médico, hoje esse número não chega 40%”, disse ele.

Quem precisar de atendimento médico de segunda a sexta-feira, deve procurar as unidade básicas de saúde. “As pessoas só devem procurar a UPA aos finais de semanas, durante a noite e em casos de urgência e emergência. Hoje, não temos segurança na escala médica da Vila Prado, por isso, mesmo com um número maior de médicos ainda não podemos abrir as UPAs do Santa Felícia e do Cidade Aracy. A conversa com a Santa Casa está avançada, se a parceria der certo, vai nos ajudar a suprir essa dificuldade o mais o rapidamente”, concluiu Caco Colenci.

CAPS III

Na manhã da última sexta-feira (5), o secretário de Saúde, o deputado federal Lobbe Neto (PSDB) e o vereador Rodson Magno (PSDB), visitaram as obras do Centro Psicossocial Álcool e Drogas (CAPS-III), no Jardim Botafogo. Há uma semana, a construtora parou a obra por falta de pagamento do convênio com o Ministério da Saúde. “A papelada está toda certa. O Governo Federal cancelou o empenho por falta de recursos. Precisamos da ajuda do deputado para liberar a segunda parcela no valor de R$ 600 mil para a conclusão do CAPS. Sessenta por cento da construção está pronta. Estão faltando esquadrias, portas, parte elétrica e pintura”.

“Procuramos o deputado para solicitar o seu apoio junto ao Ministério para que a segunda parcela do convênio possa ser liberada para a conclusão do CAPS”, disse o vereador Rodson Magno.

Prontamente, o deputado Lobbe Neto entrou em contato com o Ministério da Saúde em Brasília e solicitou a liberação dos recursos para que a obra possa ser concluída. “Tivemos uma resposta positiva do próprio ministro Ricardo Barros, que se comprometeu liberar os recursos para que a empresa prossiga as obras e entregue o novo CAPS para a população”, declarou o parlamentar.

Com investimento de R$ 1.328.990,00 do Ministério da Saúde e contrapartida do município, a unidade contará com uma área construída de 741,23m² que comportará o atendimento individual para consultas em geral, atendimento psicoterápico, oferta de medicação assistida e dispensada, atendimento em grupos para psicoterapia e atividades de suporte social, oficinas terapêuticas, atividades de reabilitação psicossocial, entre outras atividades.

Deixe uma resposta