SAÚDE | Gota de Leite utiliza polvos de crochê para acalmar bebês em Araraquara

Projeto criado há quatro anos na Dinamarca, pioneiro na região de Araraquara, tem colaboração de voluntárias da maternidade

Desde fevereiro deste ano, com um projeto pioneiro na região de Araraquara, a Maternidade Gota de Leite iniciou a distribuição de polvos feitos de crochê para bebês recém-nascidos, prematuros ou não. A Gota de Leite registra, em média, 200 nascimentos por mês em Araraquara, a maioria através de partos normais.

Segundo a coordenadora médica da UTI Neonatal da Gota de Leite, Rosana Smirne de Mattos, o projeto criado em 2013 na Dinamarca visa auxiliar neurologicamente bebês que nascem de forma prematura. “Os tentáculos do polvo de crochê remetem o bebê para o útero materno porque se assemelham ao cordão umbilical. Percebemos que realmente o bebê fica mais tranquilo com o polvo”, explica a médica.

Rosana diz que se interessou pelo assunto logo que viu, pela internet, a implantação do projeto na Dinamarca. Com o auxílio de outras pessoas confeccionou os primeiros polvos e iniciou a distribuição na Gota.

Ela acrescenta que todo recém-nascido na maternidade, incluindo os prematuros, recebem um polvo de crochê, da mesma forma que os bebês internados na UTI, e que todas as mães levam o produto para casa após a alta.

A coordenadora médica da UTI Neonatal acrescenta que os polvos de crochê são confeccionados e doados por voluntárias da maternidade e por outras pessoas que conheceram o projeto pelo facebook e também doam esses produtos aos bebês.

Pioneirismo

“Na região de Araraquara, fomos pioneiros na implantação desse programa. Inclusive, eu enviei um polvo como amostra para o Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto”, ressalta a médica.

Ainda segundo Rosana Smirne, apesar de considerar que o polvo é uma boa iniciativa, é preciso incentivar a instalação do projeto federal Mãe Canguru, “muito importante na recuperação de prematuros”.

Apoio do prefeito

Vale destacar que em Araraquara a implantação do projeto Mãe Canguru, entre outros serviços relevantes prestados pela maternidade, é reivindicado pelo prefeito Edinho Silva junto ao Ministério da Saúde.

“Eu quero fortalecer a Gota de Leite, que presta um serviço de excelência à população de Araraquara e de cidades da região. Em Brasília (no Ministério da Saúde), vou buscar agilizar o credenciamento da UCI (Unidade de Cuidados Intermediários), do Mãe Canguru e da Casa da Gestante, o que irá garantir mais recursos federais na manutenção da maternidade”, disse Edinho durante recente visita ao hospital. Só no primeiro trimestre deste ano, a Gota de Leite registrou 599 nascimentos, dos quais 321 de partos normais e 278 por cesarianas.

Neste mesmo período (entre janeiro e março de 2017), a maternidade atendeu a 929 pacientes, de 19 municípios da microrregião de Araraquara.

Deixe uma resposta