SÃO CARLOS | Em entrevista à Rádio Clube, Lucão reforça preocupação com a saúde pública

O vereador e presidente da Comissão Permanente de Saúde e Promoção Social da Câmara, Lucão Fernandes participou na manhã desta quarta-feira (24) de uma entrevista ao vivo no programa do radialista Carlinhos Lima, na Rádio Clube AM 1400. O foco do programa mais uma vez foi a saúde pública em São Carlos, que, segundo Lucão, é motivo de preocupação e requer medidas urgentes.

Unidades de Pronto Atendimento (UPAs) fechadas, Santa Casa superlotada, falta de médicos, atendimento precário estão entre as problemáticas da área. O vereador recordou ainda algumas mortes (de um bebê na UPA do Cidade Aracy e, recentemente, de um bebê ainda no ventre da mãe na Maternidade da Santa Casa), incidentes ainda mais graves. 

As mortes estão sendo apuradas por meio de sindicância interna tanto da Prefeitura, quanto da Santa Casa, além de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que foi aberta pela Comissão de Saúde do Legislativo.  

“Estamos investigando, mas está mais do que claro que o sistema de saúde da nossa cidade não vai bem, ainda não temos um sistema com infraestrutura para atender a gestante. Não podemos permitir que novas vidas sejam ceifadas”, reforçou Lucão.

Sobre a CPI da Saúde aberta este mês, já foram realizadas duas reuniões: uma preparatória e outra voltada para encaminhamento de documentos. “Estamos avaliando quais profissionais seriam chave para a investigação e queremos chamá-los. Queremos apurar o porquê do sistema ter chegado a esse caos”, disse Lucão. Também será investigada a escala de plantões da UPA da Vila Prado, que chegou a ter seis médicos por plantão. “Como isso se na unidade existe somente dois três consultórios para atendimento? Onde os outros atenderiam? Nos corredores?,” questionou Lucão.

Segundo o vereador, esses médicos poderiam ser divididos em outras unidades, reabrindo-as, retornando o atendimento à população, acabando, inclusive, com o desconforto dos funcionários.

Há quatro meses a população da cidade está sem o atendimento das UPAs do Santa Felícia e Cidade Aracy, o que também impossibilitou o município de receber mais de R$ 1 milhão de repasses do Governo Federal.

“Não podemos continuar nessa situação, porque também prejudica o credenciamento de novas UPAs. Nós da Câmara estamos investigando, solicitando documentos e buscando soluções para esses problemas”. 

A Prefeitura alega que está esgotando todos os mecanismos legais para a contratação de médicos, porém, na opinião do vereador Lucão, isso não é verdade. “Houve a oportunidade de assinatura de um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) para a contratação de médicos, mas eles não quiseram assinar”.

Deixe uma resposta