SÃO CARLOS | Dificuldades da indústria foi tema da Reunião Ordinária da Comissão Municipal de Emprego

 

As dificuldades de infraestrutura, desenvolvimento e geração de empregos enfrentadas pelo setor da indústria e a segurança dos trabalhadores foram os principais temas debatidos na quinta-feira (20), no auditório “Wilson Wady Cury” na Casa do Trabalhador, durante a 4ª Reunião Ordinária da Comissão Municipal de Emprego e segunda da série de reuniões setoriais agendadas pela Secretaria Municipal de Trabalho, Emprego e Renda e aprovadas pela Comissão Municipal de Emprego (CME).

Participaram da reunião representantes do SENAI, SESI, SERT (Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho) dos sindicatos ligados ao setor, membros da CME e representantes das secretarias municipais de Educação e Desenvolvimento Sustentável, Ciência e Tecnologia.

Implementação de ações que visem garantir a segurança dos trabalhadores nas empresas, atenção na formação dos funcionários com criação de mais cursos de capacitação profissional e melhoria das vias públicas para evitar acidentes, foram questões discutidas na reunião.

Ubiraci Pires Corrêa, diretor do CIESP São Carlos (Centro das Indústrias do Estado de São Paulo) explicou que o desemprego é grande devido à situação econômica que o Brasil atravessa. “Nesta reunião com a Prefeitura queremos criar formas de treinar os funcionários para que eles estejam aptos à contratação na hora que o mercado reagir. Então hoje, em termos de empregabilidade precisamos dos funcionários treinados para quando o mercado reaquecer puder assumir postos de trabalho na indústria. Se houver a recuperação econômica todos os setores vão precisar de funcionários, já que está todo mundo trabalhando abaixo de 50% do seu normal”, informou Ubiraci Corrêa.

A indústria de transformação foi o setor da economia de São Carlos que mais demitiu entre janeiro e junho deste ano, segundo o Caged (475 demissões), diferença entre 2.341 demissões e 1.866 contratações.

O secretário municipal de Trabalho, Emprego e Renda, Walcinyr Bragatto, ressalta a preocupação do poder público com o desenvolvimento da cidade. “Estamos trabalhando sempre na busca de novas empresas, mas precisamos ter uma atenção especial com as empresas que já estão instaladas e empregam pessoas em nossa cidade. O setor da indústria passa por um período de muitas dificuldades, entretanto, São Carlos tem um parque industrial importantíssimo, uma produção bastante diversificada com alta tecnologia, indústria de transformação, com diversificação de produção e nessa reunião vamos levantar dados das principais dificuldades, naturalmente muitas delas vem pela conjuntura nacional pelo momento que o país vive, pelas dificuldades da economia e certamente nós deveremos tirar propostas de ações locais entre o poder público e iniciativa privada que possam melhorar a perspectiva de desenvolvimento das indústrias em São Carlos, ressaltou Bragatto. 

Outro aspecto apresentado por Bragatto foi a infraestrutura do município oferecida as empresas, que precisa ser analisada e bem cuidada. “Infelizmente, na gestão anterior, São Carlos perdeu recursos do Governo Federal para fazer a pavimentação na região da avenida Getúlio Vargas, onde estão instaladas empresas e indústrias. Isso faz muita diferença, gera dificuldades e aumenta o custo das empresas e diminui a competitividade. Queremos definir quais ações geram mais oportunidades para essas empresas, prepararmos a cidade para uma exposição positiva, construtiva, para colocarmos as nossas produções fora de São Carlos, fazendo com que elas conquistem novos mercados”, finalizou o secretário.

Entre os encaminhamento da reunião setorial da indústria houve o entendimento unânime para que haja união de esforços de todos os setores, com trabalho coeso e conjunto no sentido de oferecer mais vagas de cursos de formação profissional, preparar jovens aprendizes e o consenso da criação de uma central de informações permanente que facilite a troca de experiências e também de ações conjuntas para promover o desenvolvimento das indústrias e gerar empregos. Na próxima semana a CME se reúne para avaliar as propostas e encaminhamentos apresentados nesta reunião.

Deixe uma resposta