POLÍTICA | Roberto Massafera ouve diretor do Detran em CPI

 

O deputado estadual Roberto Massafera cobrou maior rigor do Detran na fiscalização de exames e autoescolas que cometem fraudes na emissão de Carteira Nacional de Habilitação (CNH). Ele avalia que uma grande parte dos condutores não tem formação adequada e colocam em risco toda população.

Roberto Massafera participou na quinta-feira (24) de reunião da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que investiga fraudes ocorridas no Departamento Estadual de Trânsito (Detran). A CPI apura a suspeita de existência de uma máfia em esquema de emissão irregular de CNH.

A comissão ouviu o diretor de Habilitação do Detran, Raul Vicentini; e os gerentes Thais Barbarossa de Almeida Pacheco, Rafael Vitor Alcântara Nardo e Alexandre Cordeiro de Brito.

Roberto Massafera também questionou Vicentini sobre a quantidade de inquéritos instalados pela Polícia Civil que apontam irregularidades no órgão de transito. Disse ter recebido um relatório que aponta uma média de 5 inquéritos nas grandes cidades e se disse surpreso que essa média tenha subido para 20 inquéritos no município de Piracicaba.

Segundo Vicentini, são emitidas cerca de 50 mil habilitações novas por mês em todo o Estado de São Paulo. Esses novos condutores passaram por uma das cerca de 4,7 mil autoescolas paulistas que ministram o Curso de Formação de Condutores (CFC).

Em casos comprovados de farsa, inclusive sobre reprovação proposital dos alunos, a empresa pode ser punida com a perda do direito de funcionar por até 5 anos. Os parlamentares também solicitaram uma regulamentação contra os altos custos das habilitações.

A CPI aprovou, ao final, convite ao ouvidor do Estado, Gustavo Ungaro, e ao presidente da Corregedoria Geral de Administração, Ivan Francisco Pereira, para que esclareçam as providências que o Estado tomou em relação aos casos de fraudes nos últimos anos.

Deixe uma resposta