IBATÉ | Ibateense diz que julgamento dos acusados de matar irmão foi injusto

“…eu via acontecer esse tipo de INJUSTIÇA nas outras famílias e ficava triste. Agora, acontecendo comigo e minha família eu fico INCONFORMADA”. Essa foi a manifestação de Andreia Silva, irmã do auxiliar de produção Adenelson da Silva, que foi assassinado no dia 1º de abril de 2012.

Ontem (14), no Fórum Criminal de Ibaté, aconteceu o julgamento dos cinco acusados de participar do crime, que foi esclarecido pela equipe do delegado Gilberto de Aquino, o qual respondia interinamente pela Delegacia de Ibaté.

Adenelson, que fazia serviços de auxiliar de pedreiro, foi morto com um tiro nas costas e outro na cabeça, após ser espancado. Seu corpo foi deixado em um canavial próximo a uma granja, entre os Jardins Menzani e Jardim Icaraí, em Ibaté. “Meu Deus, com tantas provas e esse JURI foi capaz de condenar só um? Não dá pra entender!”, escreveu a irmã.

O júri popular foi composto por sete pessoas, sendo seis mulheres e um homem. A maioria deles eram professores. O pai e a irmã da vítima ficaram muito emocionados durante o depoimento e, por diversas vezes, choraram bastante. Três dos cinco acusados passaram mal devido a queda de pressão, mas continuaram no julgamento.

Após 12 horas de audiência, o juiz de Direito da Comarca de Ibaté, Eduardo Cebrian Araujo Reis, se reuniu com o júri e a decisão final da sentença foi dada às 21h, com a condenação a 12 anos de prisão, de Wilson da Silva Carvalho “Piauí”, que foi apontado como o autor dos disparos, mas ele poderá recorrer à decisão em liberdade. Os outros acusados foram absolvidos do crime.

O promotor de Justiça, Marco Aurélio Bernardi de Almeida, demonstrou um trabalho excepcional com a experiência, provas e testemunhas, deixando até os advogados de defesa em uma situação difícil.

“Fico me perguntando como essas pessoas que absolveram os outros e condenaram só um, vão deitar suas cabeças no travesseiro e dormir. Hoje é minha família que está passando por isso, mas um dia pode ser que um deles faça isso com a família de um deles. Ai querer ver como será (sic)”, finalizou Andreia Silva.

 (Com Rota das Notícias)

Deixe uma resposta