SÃO CARLOS | Caged mostra que o número de vagas com carteira assinada cresceu neste ano

 

Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho mostram que o número de vagas com carteira assinada cresceu em São Carlos neste ano.

No acumulado de 2017 (período de janeiro a agosto), São Carlos teve saldo positivo de 141 novas oportunidades de emprego. No ano passado, nesse mesmo período, São Carlos perdeu 734 postos de trabalho.

O saldo positivo da geração de 141 novos postos de trabalho em São Carlos, no acumulado do ano, se deve as 15.793 admissões ante 15.652 desligamentos.

Entre os serviços prestados no Sine São Carlos (Casa do Trabalhador) como cadastro de Intermediação de Mão de Obra (IMO), emissão de Carteira de Trabalho e Previdência Social (CTPS) e Habilitação do Seguro Desemprego (SD), a emissão de 921 carteiras de trabalho entre os meses de janeiro e agosto de 2017, foi outro aspecto positivo.

A estatística do Ministério do Trabalho aponta também que o Sine São Carlos captou 546 vagas de emprego entre janeiro e agosto, sendo 257 para aumento de quadro das empresas e 289 para reposição de mão de obra. Houve também a colocação de 322 pessoas no mercado de trabalho neste período.

Dados do Caged registram que São Carlos vem mantendo a variação absoluta positiva na geração de novos postos de trabalho, foram 71 no mês de agosto, 103 postos em julho, 52 em junho e 251 em maio. O último mês em que a economia de São Carlos teve perda de empregos (variação negativa dos setores) foi em abril quando a cidade perdeu 187 postos de trabalho.

Segundo o Caged o setor que mais contratou em São Carlos no mês de agosto foi o comércio que empregou 112 pessoas, resultado da diferença entre as 545 admissões e os 433 desligamentos, num universo de 14.734 empregados formais e um total de 5.197 estabelecimentos. Na contramão da economia da cidade quem mais demitiu foi o setor da construção civil que perdeu 115 postos de trabalho, déficit gerado pela diferença entre 233 desligamentos e 118 admissões.

Para o secretário municipal de Trabalho, Emprego e Renda, Walcinyr Bragatto, a oscilação do setor da construção civil e as admissões no setor do comércio revelam que a economia da cidade apresenta leve tendência de crescimento, porém ainda em fase de estabilização. “Trabalhamos para acelerar o desenvolvimento de setores que possam contribuir na geração de mais vagas de emprego e, especificamente na ampliação de cursos de formação profissional”, disse Bragatto.

Deixe uma resposta