SÃO CARLOS | Promotoras Legais Populares formam mais uma turma

Aconteceu na última quarta-feira, dia 25, a formatura da 7ª turma de Promotoras Legais Populares de São Carlos, projeto que existe na cidade desde 2010, e que teve a participação de 28 mulheres nessa edição.

Promotora Legal Popular (PLP) é uma liderança capaz de dar orientação sobre questões do cotidiano, como violações de direitos, ameaças, violência contra a mulher, etc.; para outras pessoas que se encontram necessitadas de reconhecimento e apoio para enfrentamento de dificuldades. A proposta central do curso é estimular e criar condições para que as mulheres conheçam direitos, leis e mecanismos jurídicos, tornando-as capazes de tomar iniciativas e decisões no sentido do acesso à justiça e à defesa dos direitos humanos. O projeto é voltado para mulheres como forma de aplicação de uma ação afirmativa.

Para Raquel Auxiliadora, coordenadora do coletivo, a formatura da 7ª. turma é uma grande alegria e avanço para a cidade de São Carlos. “Teremos agora 179 mulheres formadas como PLPs e que podem ajudar outras pessoas, exercendo seu papel de cidadã e lutando por uma sociedade mais justa para todas as pessoas”, comemora.

Neste ano, o curso teve 29 encontros, entre os meses de março a outubro, é uma iniciativa do Coletivo de Promotoras Legais Populares, com o apoio do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos.

Como paraninfa da turma foi escolhida a Profa. Dra. Roseli Rodrigues de Mello, docente do curso de Pedagogia da UFSCar, que ministrou a aula sobre Educação de Meninas e Meninos. Também foi homenageada a Profa. Maria Farias, coordenadora pedagógica da Casa da Criança Estrela da Manhã, que participou da aula sobre Direitos das Crianças e Adolescentes. A formatura também contou com a presença da Deputada Estadual Marcia Lia, que parabenizou a iniciativa.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Carlos, Erick Silva, apoiar as ações do Coletivo significa avançar na luta contra as desigualdades de gênero, preconceitos e contribuir na transformação da consciência. “Em tempos de retrocessos e retirada de direitos, é importante uma formação desse teor, que vá além de reproduzir conteúdo, que valoriza as experiências de vida de cada integrante. Dessa maneira, é possível que umas aprendam com as outras, sem hierarquizar conhecimentos. A partir desse processo as companheiras do Sindicato, que atuam no coletivo, também nos ajudam a entender e a praticar no chão de fábrica”.

As PLPs desenvolvem ações educativas, como palestras, rodas de conversa, etc. Quem estiver interessado em realizar uma atividade pode encontrar mais informações e entrar em contato no site: www.plpssaocarlos.org; no Facebook: Promotoras Legais Populares de São Carlos; e no Email: [email protected]

Deixe uma resposta