FOSFOETANOLAMINA | Massafera promete imparcialidade em CPI sobre a pílula do câncer

 

Teve início na terça-feira (31) os trabalhos da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Fosfoetanolomina. O professor aposentado do Instituto de Química da USP de São Carlos, Gilberto Chierice, prestou informalmente esclarecimentos sobre a substância que ajudou a sintetizar.

A CPI investigará as pesquisas envolvendo a chamada pílula do câncer e os testes aplicados pelo Instituto do Câncer do Estado de São Paulo (ICESP) que deveriam seguir protocolos assinados com a Secretaria de Estado da Saúde.

O presidente da CPI, deputado estadual Roberto Massafera, tem convicção de que “as apurações serão imparciais e darão transparência a todos as questões despertadas até agora.”

Em sua fala, o professor Gilberto Chierice qualificou como “história distorcida” a forma como a mídia retratou a substância e seu desenvolvimento. Chierice também destacou o tamanho da “indústria do câncer” que consome 3,5% do PIB mundial com a venda de equipamentos e tratamentos, segundo dados do Departamento de Saúde dos Estados Unidos.

Na reunião, também foi aprovado o plano de trabalho da CPI que deverá ser encerrada em 25 de fevereiro. Estão previstas oitivas com o Professor Durvaney Augusto Maria, do Instituto Butantã; Salvador Claro Neto, da USP São Carlos; membros de hospitais onde já foram realizados testes com a substância e da Secretaria Estadual de Saúde. Durante o transcorrer da CPI, o próprio professor Gilberto Chierice será convidado de maneira formal a dar maiores esclarecimentos sobre a fosfoetanolamina.

Também participaram da reunião os deputados Cássio Navarro (PMDB), Cezinha da Madureira (DEM), Ed Thomas (PSB), Gileno Gomes (PSL), Márcio Camargo (PSC), Pedro Tobias (PSDB) e Rafael Silva (PDT), além do deputado relator da CPI, Ricardo Madalena (PR).

Deixe uma resposta