SÃO CARLOS | UFSCar recebe comitiva do programa Idiomas sem Fronteiras

Universidade é parceira na produção de materiais didáticos e recursos virtuais para o Programa

A Universidade Federal de São Carlos (UFSCar) recebeu, no dia 30 de novembro, comitiva do programa Idiomas sem Fronteiras (IsF), do Governo Federal. Estiveram presentes, além da Presidente nacional do Programa, Denise Abreu-e-Lima, docente da UFSCar; Massilia Dias, Vice-Presidente do IsF/Espanhol e professora da Universidade Federal do Ceará (UFC); Luiz Gardenal, Vice-Presidente do IsF/Japonês e professor da Universidade Federal do Paraná (UFPR); Alessandra Caramori, Vice-Presidente do IsF/Italiano e docente da Universidade Federal da Bahia (UFBA); Leandro Diniz, Vice-Presidente do IsF/Português para Estrangeiros e professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG); Waldenor Moraes Filho, Vice-Presidente de Tecnologias e Ensino de Idiomas e docente da Universidade Federal de Uberlândia (UFU); e Gonzalo Peralta, Diretor Executivo da Languages Canada, organização parceira do programa IsF junto ao Ministério da Educação (MEC).

A comitiva foi recebida na Secretaria Geral de Educação a Distância (SEaD) da UFSCar, que é colaboradora do IsF na produção de materiais materiais didáticos e recursos virtuais para o Programa, na gravação de vídeos e na elaboração de ambientes online de interação e comunicação. Na manhã do dia 30, inclusive, os vice-presidentes gravaram, nos estúdios da SEaD, novos vídeos de apresentação introdutórios às salas virtuais do Programa. “A SEaD amadrinhou o IsF, e poder contar com a infraestrutura e com as equipes capacitadas da Secretaria, com certeza, fortalece as nossas ações”, afirma a Presidente do IsF.

O principal objetivo do Programa é promover ações em prol de uma política linguística nacional visando colaborar com a internacionalização do Ensino Superior brasileiro. “Nesse sentido, oferecemos cursos de línguas para estudantes, professores e técnico-administrativos de todas as instituições de Ensino Superior credenciadas”, explica Abreu-e-Lima.

Atualmente, o IsF oferece formação em sete idiomas: Alemão, Inglês, Espanhol, Francês, Italiano, Japonês e Português para estrangeiros. Em todo o País, 80 instituições de Ensino Superior oferecem cursos de Inglês no escopo do Programa e 60 oferecem Inglês e, pelo menos, um segundo idioma, além do Português para estrangeiros (que tem oferta obrigatória nas instituições que disponibilizam cursos em mais de uma Língua). Desde 2013, já são mais de 60 mil pessoas certificadas pelo IsF. “Estamos promovendo o plurilinguismo no Ensino Superior brasileiro, entendendo-o como instrumento indispensável para a internalização da Ciência nacional. Estamos dando as bases para intercâmbios acadêmicos, para o desenvolvimento de pesquisas internacionais e para que o conhecimento produzido nas universidades não tenha fronteiras”, destaca a professora da UFSCar.

Além dos cursos de idiomas, o Programa oferece também preparação para a vida acadêmica em outros países, tendo em vista que existem culturas acadêmicas bastante distintas ao redor do mundo. “A partir de um sistema de gestão integrado nacionalmente, oferecemos um catálogo com mais de 250 opções de cursos temáticos e não sequenciais que visam formar não apenas proficientes em línguas estrangeiras, mas também preparar as pessoas para práticas de ensino e de pesquisa em outros países”, diz Abreu-e-Lima.

Embora o foco seja a internacionalização do Ensino Superior, o IsF tem assumido um caráter extensionista e ofertado cursos também para professores de idiomas da Educação Básica – com o objetivo de capacitá-los para um ensino de línguas mais eficiente desde o Ensino Fundamental, de modo que os jovens possam chegar às universidades mais bem preparados -; além de cursos de Português para estrangeiros refugiados e para profissionais de diferentes nacionalidades que trabalham em empresas multinacionais.

Para realizar suas ações, o IsF congrega 280 especialistas que cuidam, por exemplo, da elaboração dos planos de ensino de todos os cursos oferecidos, e mais de 540 professores bolsistas (alunos dos cursos de Letras das instituições credenciadas), que são responsáveis pelas aulas e aplicam localmente a expertise gerada em nível nacional pelos especialistas. “Temos um calendário nacional de ofertas, um único catálogo de cursos e uma gestão integrada que dão a identidade ao Programa. Além disso, já são nove países parceiros na criação desse espaço multilíngue e globalizante”, explica a Presidente.

Em sua passagem pela UFSCar, a comitiva do programa Idiomas sem Fronteiras também se encontrou com o Vice-Reitor da Universidade, Walter Libardi, quando apresentou os resultados e os desafios enfrentados pelo Programa. Mais informações sobre o IsF estão em isf.mec.gov.br.

Deixe uma resposta