SÃO CARLOS | Farmácia de Alto Custo será inaugurada nesta quarta-feira (31)

Homenagem a Antônio José Rodrigues Asenha foi proposta pelo vereador Marquinho Amaral

Será oficialmente inaugurada nesta quarta-feira (31) às 14 horas a Farmácia de Alto Custo, localizada na rua Santa Cruz, número 198, Centro. A nova sede, que irá proporcionar melhor estrutura para usuários e funcionários, foi denominada “Antônio José Rodrigues Asenha” por meio da lei nº. 18.384/2017, de autoria do vereador Marquinho Amaral (PMDB), em homenagem ao “Toninho” da antiga e tradicional Farmácia Asenha.

“Antônio José Rodrigues Asenha construiu uma vida sólida, digna, deixando a todos inúmeras lições de vida, nas quais a doação ao ser humano, a lealdade e as amizades deveriam fazer parte de nossas vidas. O histórico de sua trajetória não deixa dúvidas quanto à merecida homenagem a ser prestada por toda a comunidade de nossa cidade a Antônio José Rodrigues Asenha”, declarou o vereador Marquinho.

Toninho, como era conhecido, nasceu em São Carlos em 31 de outubro de 1947. De família humilde, aos oito anos já trabalhava na farmácia da dona Alzira e depois na Farmácia da Cooperativa, onde permaneceu por longos anos até o fechamento, quando passou a trabalhar na farmácia do senhor Geraldo Palombo. Ele apenas saiu quando pôde dar vida ao sonho de ter sua própria farmácia, à qual deu o nome de Drogaria Asenha.

Casado com Isaura Rodrigues Asenha, pai de três filhos: Alessandra, Fabiano e Thiago, avô de Sergio Neto. Asenha era um pai exemplar que nunca deixou faltar nada em sua casa e um marido atencioso e preocupado com a saúde de sua amada. Sempre foi e será para seus familiares proteção e referência.

Amigo fiel e leal, companheiro de competições de bocha. Para ele, o troféu tinha valor, mas não tanto valor quanto o de ter os amigos nas horas de lazer, que eram muito raras, mas para ele eram primordiais. Após anos de tratamento renal e incessante luta, Asenha faleceu em 18 de abril de 2013.

“Era um ser humano íntegro, capaz de trazer alívio às pessoas. Entregava muitos remédios àqueles que precisavam e não tinham como pagar, nunca visou bens materiais e sim o bem estar das pessoas que a ele recorriam. Homem de Deus, profissional acima de qualquer coisa ou objetivo pessoal”, destacou Marquinho Amaral.

Deixe um comentário