POLÍCIA | Padre preso por embriaguez ao volante é liberado em audiência de custódia

O padre Edson Maurício, 51 anos, preso em flagrante delito por embriaguez ao volante na noite de última quarta-feira, 02, após ser surpreendido em uma operação bloqueio da Polícia Militar, foi posto em liberdade depois da audiência de custódia, realizada na manhã desta quinta-feira, 03, no Fórum Criminal de São Carlos.

Ao ser flagrado na Avenida Liberdade, na região do Kartódromo no Santa Paula, o sacerdote foi submetido ao teste de etilômetro (bafômetro) e o resultado foi de 1,17 mg de álcool por litro de sangue, o que resultou no recolhimento do religioso ao Centro de Triagem de São Carlos, depois de ser autuado pelo delegado de polícia Dr. Marco Aurélio Gonçalves da Costa, que arbitrou fiança no valor de R$ 5 mil, não sendo paga pelo acusado.

A soltura do padre, que segundo a Diocese de São Carlos se encontra suspenso de suas atividades sacerdotais desde o dia 22 de fevereiro do ano passado, após se envolver no caso de extorsão que acarretou na morte do sargento Paulo Sérgio de Arruda, baleado por um dos homens que estariam extorquindo o religioso na cidade de Matão/SP, não o livra da multa de quase R$ 3 mil por dirigir sobre o efeito de bebida alcoólica, além do processo a ser aberto sobre o caso e da suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH) pelo período de um ano.

A Diocese de São Carlos esclareceu que é ‘contrária à embriaguez ao volante’ e que o padre continua suspenso das atividades sacerdotais, que eram exercidas pelo mesmo na Paróquia de Santo Expedito, no município de Matão/SP.

Do Jornal Primeira Página

Este é o segundo episódio polêmico que envolve o referido padre, que foi afastado de seu ofício sacerdotal [Foto: Luciano Lopes/São Carlos Agora]