IBATÉ | Ciúmes pode ter sido a causa do assassinato da jovem de 22 anos

Ciúmes pode ter sido a causa do assassinato da jovem Luana Ramos Vilhena, de 22 anos. Ela foi estrangulada e esfaqueada no pescoço, pelo companheiro de 17 anos, na noite desta terça-feira (22), na rua Boa Esperança do Sul, bairro Jardim Cruzado, em Ibaté. Este foi o primeiro homicídio do ano, na cidade.

Segundo o delegado de Polícia Civil, Dr. Adriano Callsen Alexandrino, que manteve contato com a autoridade policial do Plantão Policial de Araraquara, o menor teria afirmado que a discussão se deu início após a vítima ter apagado uma mensagem no aparelho celular, que teria trocado por um aplicativo. Durante a briga, o rapaz acabou asfixiando Luana e, em seguida, desferiu três golpes de faca no pescoço da vítima.

O caso foi registrado em Boletim de Ocorrência como Ato Infracional de Homicídio e o inquérito deverá ser encaminhado para a Vara da Infância e Juventude de Ibaté, a qual poderá determinar a internação do menor na Fundação Casa.

Confissão 

Após praticar o crime, o rapaz deixou a residência por volta da 1h. Ele foi visto por um vigia que faz a segurança de uma escola, quando voltou às 3h30. O vigia declarou que ouviu a discussão e tentou falar com o menor, porém, ele se evadiu.

Perambulando pela rodovia Washington Luís (SP-310), ele se dirigiu até ao telefone do SAU (Serviço de Atendimento ao Usuário), e entrou em contato com a central da concessionária Triângulo do Sol, contando o crime que havia cometido.

A Polícia Militar Rodoviária foi acionada e apreendeu o jovem que foi encaminhado ao Plantão Policial de Araraquara. Enquanto era apresentado e indiciado, uma equipe da Polícia Militar de Ibaté se dirigiu até a residência do casal e encontrou o corpo de Luana caído ao lado da cama, todo ensanguentado.

Existe a suspeita de que ela estava grávida de três meses. O fato deverá ser verificado com a realização dos exames necroscópicos. A Polícia Científica foi acionada e coletou as informações.

O corpo da jovem foi removido e encaminhado ao Instituto Médico Legal (IML) de São Carlos, pela Funerária Terezinha de Jesus.