GERAL | Presença de Arlindo Cruz no desfile da X9 marca 1º dia do carnaval

O desfile, em uma cadeira de rodas, do sambista Arlindo Cruz na escola X9 Paulistana marcou a primeira noite do carnaval de avenida de São Paulo, realizada na madrugada de ontem para hoje (2). Os 60 anos do músico, que sofreu um acidente vascular cerebral (AVC) há cerca de dois anos, era o tema do samba-enredo da agremiação: “o Show Tem Que Continuar, Meu Lugar É Cercado de Luta e Suor, Esperança de Um Mundo Melhor”.

Arlindo chegou ao Sambódromo do Anhembi em uma ambulância e percorreu o trajeto do desfile em um carro alegórico ao lado dos familiares e com a presença de enfermeiros. Arlindinho, filho do sambista, foi um dos autores do samba-enredo da escola.

“Voz dos humildes por um pedaço de pão, Favela de gente sofrida, Mas que valoriza a própria raiz, Aquela, que sente na pele, as chagas da vida, a dor do país, X-9 a cantar, conduz até seu lugar a luz, Pra continuar, o show de Arlindo Cruz”, diz trecho do samba-enredo da escola.

No carnaval carioca do ano passado, o compositor – na época ainda internado – já havia recebido uma homenagem pela escola de samba do Rio de Janeiro, Império Serrano. Um grupo de 270 pessoas atravessou a avenida, um pouco à frente da escola, vestindo calça branca e camiseta com a foto de Arlindo Cruz e a frase “O show tem que continuar”, um dos versos de um samba que ele compôs.

Primeira noite de desfile

Além da X9 Paulistana, a primeira noite do carnaval de avenida, que começou debaixo de chuva no Anhembi, zona norte de São Paulo, contou com as escolas Colorado do Brás, Império de Casa Verde, Mancha Verde, Acadêmicos do Tucuruvi, Acadêmicos do Tatuapé, e Tom Maior. Os destaques ficaram por conta das encenações dos castigos praticados contra os negros vindos da África, no desfile da Mancha Verde, e da exploração dos indígenas, na apresentação da Acadêmicos do Tucuruvi.

Colorado do Brás

A Colorado do Brás foi à avenida com o enredo Hakuna Matata, Isso é Viver. O tema faz referência a uma canção queniana que ganhou notoriedade com a animação Rei Leão. Porém, a versão da Colorado traz uma homenagem ao Quênia, à religiosidade dos orixás e à exuberância natural africana. No último carnaval, a escola ficou em terceiro lugar do grupo de acesso, garantindo a volta ao grupo especial deste ano depois de 25 anos.

Império de Casa Verde

Três vezes campeã do grupo especial, a Império da Casa Verde foi a segunda escola a desfilar com o enredo O Império Contra-Ataca, em referência a uma das sequências do filme Guerra nas Estrelas. A letra relembra grandes clássicos do cinema, em homenagem à magia da sétima arte.

Mancha Verde

Oxalá, Salve a Princesa! A Saga de uma Guerreira Negra foi o enredo da Mancha Verde deste ano. A escola relembra a beleza e a riqueza da África e o processo do tráfico negreiro, que trouxe milhões de pessoas ao Brasil escravizadas. A princesa homenageada é Aqualtune, avó de Zumbi dos Palmares, herói da resistência negra brasileira.

Acadêmicos do Tucuruvi

A Acadêmicos do Tucuruvi trouxe este ano o enredo Liberdade… O Canto Retumbante de um Povo Heroico, em que retrata momentos de luta do povo brasileiro, desde a luta dos índios contra os conquistadores até a resistência à ditadura militar. Em 2011, a escola foi vice-campeã do grupo especial, o melhor resultado conquistado até hoje.

Acadêmicos do Tatuapé

Ganhadora do título do carnaval paulistano de 2017, a Acadêmicos do Tatuapé foi à avenida com o enredo Bravos Guerreiros. Por Deus, Pela Honra, Pela Justiça e Pelos que Precisam de Nós. O tema é uma homenagem à batalha diária dos brasileiros.

X-9 Paulistana

O sambista Arlindo Cruz, que fez 60 anos em 2018, foi homenageado pela X-9. Com o enredo O Show Tem Que Continuar! Meu Lugar é Cercado de Luta e Suor, Esperança Num Mundo Melhor, a escola conta a trajetória musical do carioca.

Tom Maior

De onde vim? Pra onde vou? são as interrogações que inspiram o enredo deste ano da Tom Maior. Com o tema Penso… Logo existo – As Interrogações do Nosso Imaginário em Busca do Inimaginável, a escola passeou pela religião, misticismo, mitologia e ciência na busca pelas grandes respostas da humanidade.

Segunda Noite em SP

Na noite de hoje, será a vez das escolas Águia de Ouro, Dragões da Real, Mocidade Alegre, Vai-Vai, Rosas de Ouro, Unidos de Vila Maria e Gaviões da Fiel desfilarem pelo Sambódromo do Anhembi.

[Agência Brasil]

Deixe uma resposta