SÃO CARLOS | Força Tarefa interdita escola clandestina em condomínio residencial

A Força Tarefa, composta por representantes da Guarda Municipal, Polícia Militar e Departamento de Fiscalização da Secretaria de Habitação e Desenvolvimento Urbano, após denúncia realizada no Conselho Tutelar, interditou nesta quarta-feira (19/08) duas residências que estavam sendo utilizadas irregularmente como escola infantil.

A escolinha clandestina estava atendendo crianças da educação infantil em dois imóveis de um condomínio residencial localizado na região do bairro Santa Felícia. No total nesta quarta-feira estavam sendo atendidas 10 crianças na faixa etária de 0 a 8 anos.

A Força Tarefa, acompanhada do Conselho Tutelar e da Vigilância Sanitária, verificou que os imóveis não tinham segurança e nem condições sanitárias exigidas para o funcionamento de uma escola, além de não ser uma unidade educacional e comercial regularizada, a fase amarela do Plano SP ainda não deliberou sobre o retorno de atendimento presencial de alunos pelas escolas de educação infantil.

“Interditamos os dois imóveis, paralisamos as atividades e o Conselho Tutelar orientou as pessoas que estavam no local atendendo as crianças para que entrassem em contato imediatamente com os responsáveis ou pais das crianças para a retirada dos mesmos”, conta Rodolfo Penela, diretor de Fiscalização da Prefeitura.

A Força Tarefa registrou um boletim de ocorrência – Nº 07792 – e os responsáveis serão multados por crime contra a saúde pública.

RETORNO

O Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus continua despachando com os proprietários de escolas de educação infantil de São Carlos para deliberar normas e protocolos de segurança para o possível retorno do atendimento presencial de alunos nas unidades particulares.

A Rede Municipal de Ensino já anunciou que por questão de segurança não retorna as aulas presenciais esse ano já que atende mais de 12 mil alunos de 0 a 6 anos. A Secretaria de Educação garantiu que as atividades e conteúdos educacionais continuarão sendo disponibilizados via internet, pelas redes sociais como Facebook, blogs, WhatsApp e no site da Secretaria.