DOURADO | Polícia Civil prende babá e marido acusados de abuso sexual contra criança de 1 ano

Um mandado de busca e apreensão foi cumprido pela Polícia Civil, sobre o comando do Delegado de Polícia, Reinaldo Lopes Machado, na manhã desta quarta-feira (26), junto a residência de propriedade do casal, sendo a babá e seu marido, acusados de abusar sexualmente de uma criança de 1 ano e 2 meses, em 11 de agosto na cidade de Dourado (SP).

Depois de passar o dia na casa da babá, o pai da criança levou a filha para a moradia da família, e após a chegada, notou que a criança estava bastante chorosa e também relatando dores na barriga, encaminhando a mesma junto com a sua esposa, até o Pronto Socorro Municipal de Dourado (SP), para os devidos atendimentos médicos.

Enquanto eram realizados os exames clínicos junto a bebê, o médico constatou que as suas partes íntimas apresentavam uma cerca vermelhidão, e de imediato encaminhou a criança para atendimento na Santa Casa de São Carlos (SP), sendo realizados todos os procedimentos para a apuração do caso.

Depois do fato ser registrado em Boletim de Ocorrência no Plantão da Polícia Civil de São Carlos (SP), o caso foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Civil de Dourado (SP), onde foram iniciadas as investigações para a apuração sobre o ocorrido.

Um laudo emitido pelo IML (Instituto Médico Legal) de São Carlos (SP), aponta que a criança foi vítima de violência sexual, provocada por ação de objeto contundente, onde diante da constatação e relatos ouvidos através de testemunhas, foi representado pelo pedido de prisão temporária dos acusados junto da Justiça Criminal da Comarca de Ribeirão Bonito (SP), que acatou ao pedido por se tratar de um crime hediondo.

Depois da prisão dos acusados, sendo a babá e seu marido, alguns CDs e pen drives foram apreendidos junto da residência do casal, durante o cumprimento de um mandado de buscas e apreensão.

Segundo o relatado pelo delegado de polícia, Reinaldo Lopes Machado, responsável pela apuração do inquérito policial, ainda não se tem a comprovação sobre a autoria dos fatos. O casal acusado foi detido e se encontra preso por 30 dias, para que os trabalhos investigativos possam ser levados adiante até a sua conclusão.

Fonte: Primeira Página