SAÚDE | Sem contrato renovado, Centro de Combate à Covid-19 do HAC vai encerrar as atividades

Unidade atendeu mais de 250 pacientes em pouco mais de cinco meses com resultados altamente positivos

 

O Centro de Combate à Covid-19 do Hospital Amaral Carvalho irá encerrar as atividades no final desse mês. O fechamento ocorre devido à sinalização do Governo do Estado da não renovação do contrato de prestação de serviços, em razão da queda registrada no número de internações de pacientes infectados pelo Coronavírus. A unidade, criada há pouco mais de cinco meses para atender às vítimas da Covid-19, está há oito dias sem receber os pacientes das 68 cidades da região que integram o Departamento Regional de Saúde (DRS) de Bauru.

De acordo com o gerente médico do HAC, João Gabriel Soares de Campos, o convênio junto ao Governo do Estado de São Pulo termina em 31 de agosto e não será renovado por falta de demanda. “Observamos na nossa região e no Estado uma queda bastante acentuada dos casos. Nesse momento, as próprias cidades estão conseguindo atender os seus pacientes e não está faltando vaga para ninguém que precisa”, explica.

O médico ressalta ainda que o balanço dos meses de atendimento foi bastante positivo. “Nossa expertise é oncologia, mas tratamos muito bem a COVID, com altas taxas de sucesso. A satisfação de ver as pessoas saindo daqui é muito grande”, conclui. Com o encerramento das atividades do Centro de Combate à COVID-19, o Hospital Amaral Carvalho passar a atender pacientes que contraíram o novo Coronavírus em sua unidade principal. Atualmente, cinco pacientes ainda se recuperam da doença na ala de isolamento da Unidade de Terapia Intensiva.

Desde sua abertura, em março desse ano, foram 266 pacientes atendidos de 40 municípios e 218 altas hospitalares, com vagas sempre preenchidas de acordo com a Central de Regulação de Ofertas de Serviços de Saúde (CROSS).

“O Hospital Amaral Carvalho tem um compromisso com a saúde da população. Isso faz parte da nossa história. E com a COVID-19 não foi diferente. Contribuímos nessa luta contra a pandemia e pudemos atender de maneira integral e humanizada todos aqueles que passaram pelo nosso centro. Concluímos esse desafio com a sensação de dever cumprido e, principalmente, com a certeza de que essa é a nossa vocação, independentemente da situação. Estamos e estaremos sempre prontos a contribuir com a sociedade”, afirma o diretor-superintendente do HAC, Antonio Navarro.

Estrutura em tempo recorde

Em praticamente um mês, o Hospital Amaral Carvalho reformou um dos pavilhões da Unidade Ana Maria França Ferraz, construiu 39 leitos, sendo 29 de enfermaria e dez para tratamento semi-intensivo. Planejou e montou toda a estrutura dos serviços de apoio para atendimento às vítimas da COVID-19, como consultórios, laboratórios, sala de exames e farmácia. Mais de 100 funcionários foram treinados para dar suporte integral aos pacientes 24 horas.

Após a finalização do serviço, o local será readequado. Nesse momento, o almoxarifado do Hospital Amaral Carvalho está sendo transferido para um dos pavilhões e será criado um centro para tratamento oncológico. “A estrutura não será desativada, vai continuar com atendimento a pacientes, só que na nossa área de atuação, que é oncologia”, diz o gerente médico do HAC, João Gabriel Soares de Campos.