SÃO CARLOS | Banco de Leite da Santa Casa completa 20 anos

Durante esse período, mais de 3 mil bebês receberam o leite materno doado pelas voluntárias e quase 17 mil mães receberam atendimento

 

O Banco de Leite da Santa Casa de São Carlos completa 20 anos neste mês de outubro. Nessas duas décadas, 3.350 recém-nascidos foram beneficiados com o leite materno doado.

É o caso das duas filhas da Adriele Nicoletti. Elas nasceram em 2008, depois que a auxiliar administrativa teve um sangramento com 26 semanas de gestação. “Eu estava trabalhando, quando tive esse sangramento e fui levada à Maternidade. Três dias depois da internação, a bolsa estourou e tive que passar por uma cesárea de urgência”.

As filhas Nicoli e a Jhenifer nasceram com cerca de 750 gramas e tiveram que ficar internadas na UTI Neonatal por quase três meses. Durante esse período, elas foram alimentadas por sonda com o leite materno doado ao Banco de Leite. “A gente só tem a agradecer né? Eu também doei o meu leite nesse período. Eu queria agradecer ao Banco de Leite. Hoje, 13 anos se passaram e elas estão aqui, bem e saudáveis”, relata Adriele.

“ANJOS DA GUARDA” DAS MÃES E RECÉM-NASCIDOS

A Edenilva Bonicelli recebeu apoio do Banco de Leite para amamentar o Murilo – Foto: Assessoria Santa Casa

O Banco de Leite também realiza um trabalho de orientação às mães. A equipe dá dicas sobre a pega correta na hora de amamentar, o que fazer quando o leite empedra e como evitar o desenvolvimento de mastite. Ao longo desses 20 anos, 16.697 mulheres foram acolhidas pela equipe técnica e receberam atendimento individual.

A Edenilva Bonicelli, de 33 anos, foi uma delas. Ela é Gerente Regional do Projeto Guri e, graças ao apoio da equipe do Banco de Leite, conseguiu amamentar o Murilo, hoje com 3 anos e meio. “Em 2018, quando o Murilo nasceu, eu tive muita dificuldade de amamentar. E foi graças aos profissionais do Banco de Leite, verdadeiros anjos da guarda, é que eu não desisti do meu sonho de amamentar. Pela minha inexperiência e falta de conhecimento prático, foi muito difícil no começo. Durante os primeiros 15 dias, fui diariamente ao Banco de Leite para que o Murilo e eu aprendêssemos a pega correta. Com o apoio das profissionais do Banco, a amamentação se tornou um processo prazeroso para mim e para o meu bebê”, afirma.

HISTÓRIA DO BANCO DE LEITE

O Banco de Leite da Maternidade da Santa Casa foi criado no dia 5 de outubro de 2001, como uma das metas para que a Maternidade recebesse credenciamento para atendimentos de alta complexidade. “Nós já éramos referência para o atendimento regional, mas não tínhamos ainda o credenciamento. Para que isso fosse viabilizado, o Ministério da Saúde determinou que tivéssemos um Ambulatório de Alto Risco, Alojamento Conjunto para mães e bebês e um Banco de Leite. Fomos buscar referências em outros municípios como Jundiaí, e criamos o nosso Banco de Leite”, explica a ginecologista, obstetra e Coordenadora da Maternidade na época, Elvira Zanetti.

Atualmente, existem em todo o país, 221 Bancos de Leite. E no Estado de São Paulo, são 56 unidades.

PERSONAGENS DESSES 20 ANOS DE HISTÓRIA

Equipe do Banco de Leite foi homenageada pela Santa Casa – Foto: Assessoria Santa Casa

Para celebrar os 20 anos do Banco de Leite, a Santa Casa realizou uma Cerimônia de Homenagem nesta sexta-feira (22) aos responsáveis pela implantação e trabalho da unidade.

A equipe do Banco de Leite; a Coordenadora da Maternidade na época da inauguração, Elvira Zanetti e o Grupo de Voluntárias (12 voluntárias que dão orientação sobre o trabalho do Banco de Leite às mães internadas na Maternidade) receberam Certificados de Agradecimento.

A ginecologista e obstetra Elvira Zanette, responsável por implantar o Banco de Leite na Maternidade, foi uma das homenageadas – Foto: Assessoria Santa Casa

A Instituição também homenageou o Rotary de São Carlos Norte (que ao longo dessas duas décadas, doou equipamentos para o processo de armazenamento e pasteurização do leite e mobiliários e, juntamente com o Rotary Clube da Alemanha, comprou monitores, incubadoras para bebês, caixas com instrumentos, mesa cirúrgica e outros equipamentos de última geração para a Maternidade) e o pediatra André Giusti, que há 15 anos coordena o Banco de Leite.

“O doutor André vem realizando um trabalho de excelência na Coordenação do Banco de Leite, seja captando recursos para as melhorias da estrutura e dos serviços, seja aperfeiçoando os processos e ajudando na captação de novas voluntárias. Somos muito gratos à dedicação dele, assim como somos gratos à dedicação de toda equipe do Banco de Leite e ao apoio do Rotary de São Carlos Norte”, afirma o Provedor da Santa Casa, Antônio Valério Morillas Júnior.

Nos últimos 15 anos, período em que o Pediatra André Giusti está à frente do Banco de Leite, as doações saltaram de 5 litros de leite materno por mês para, em média, 35 litros por mês.

“Sempre digo que algumas gotas podem salvar muitas vidas. E ao longo desses 15 anos, essa vem sendo a minha principal motivação. E eu não poderia realizar esse trabalho, sem a dedicação de toda a equipe e da enfermeira Karine Silva, que é uma verdadeira ‘mãe’ do Banco de Leite e coordena as atividades diariamente. Nada disso também seria possível sem o apoio do Rotary de São Carlos Norte que, ao longo de todo esse período, tem nos ajudado a estruturar o Banco de Leite com os equipamentos mais modernos”, afirma o coordenador do Banco de Leite, André Luiz Giusti.

Também participaram dessa Cerimônia de Homenagem, o vice-prefeito, Edson Ferraz; a Vereadora Raquel Auxiliadora (PT), representando a Câmara Municipal; a vereadora Cidinha do Oncológico (Progressistas), da Comissão de Saúde da Câmara; e a vereadora Professora Neusa (Cidadania).

O CAMINHO DA DOAÇÃO

O Banco de Leite conta hoje com 30 doadoras. Para também se tornar uma voluntária, a mãe precisa ir ao Banco de Leite apenas uma vez. A doadora passa por uma triagem, faz o cadastro, recebe os frascos e outros materiais como luvas e máscaras e todas as orientações para fazer a ordenha em casa. Uma vez por semana, a equipe do Banco de Leite busca os frascos com o leite doado na casa da voluntária. Esses frascos são colocados numa caixa térmica com um termômetro para controle rigoroso da temperatura.

O leite doado é levado para o Banco de Leite. Os frascos são higienizados e o leite, avaliado, congelado. Duas vezes por semana, o Banco de Leite faz a pasteurização das doações, processo que dura, em média, 4 horas.

“É importante ressaltar que, antes e depois da pasteurização, o leite materno doado passa por exames para garantir a qualidade. E aquele que não estiver dentro dos padrões é descartado. Tudo para garantir a segurança para as nossas doadoras e para o recém-nascido que vai receber esse leite”, explica a Enfermeira do Banco de Leite, Karine Silva.

A validade desse leite, depois de todo esse processo, é de 6 meses.

SERVIÇO:
BANCO DE LEITE DA SANTA CASA
LOCAL: Entrada da Maternidade da Santa Casa
HORÁRIO DE ATENDIMENTO: todos os dias (incluindo domingos e feriados): 7h às 18h
TELEFONE: (16) 3509-1175.