SAÚDE | Reunião na Câmara Municipal busca soluções para superlotação de hospitais

A Câmara Municipal de São Carlos realizou na tarde desta sexta-feira (21) uma reunião pública de urgência com representantes da Prefeitura e dos hospitais públicos e privados da cidade para discutir a crise relacionada ao aumento de casos de Covid-19 e à falta de leitos UTI e enfermaria no município.

A reunião foi solicitada pela Mesa Diretora da Câmara e pela Comissão de Saúde, formada pelos vereadores Lucão Fernandes (presidente), Cidinha do Oncológico (secretária) e Elton Carvalho (membro), com o objetivo de buscar soluções para a superlotação dos hospitais e dos equipamentos de pronto atendimento da cidade.

Conduzida pelo presidente da Câmara, Roselei Françoso, o evento contou com a presença de Marcos Palermo, secretário municipal de Saúde; Eduardo Moreira (Bill), representando o presidente do Comitê Emergencial de Combate ao Coronavírus da Prefeitura; Roberto Muniz, vice-diretor técnico da Santa Casa; Valéria Gabassa, gerente de Atenção à Saúde do Hospital Universitário (HU); Thiago Russo, representando o superintendente do HU Fábio Neves; Carlos Erbolato, diretor de Custos Médicos e Hospitalares da Unimed São Carlos; Alexandre Oliveira, gerente do Norden Hospital; Priscila Martinelli, representante do São Francisco Saúde; Denilson Tochio, presidente do Conselho Municipal de Saúde; Rodrigo Zambrano, representante da Comissão de Saúde da OAB. Participaram ainda demais vereadores da Casa, outros funcionários da Prefeitura e interessados.

Em sua fala, o vereador Lucão Fernandes ressaltou que não se pode subestimar a nova onda causada pela variante Ômicron e pontuou que os leitos abertos durante o pico da pandemia custeados pelos governos estadual e federal foram fechados quando houve queda de casos de Covid. “O município não tem recursos para custear esse volume de pessoas que precisam das internações. Agora é hora do Estado e da União mais uma vez mandar recursos para termos essa estrutura”, afirmou.

Durante a reunião, os representantes da Prefeitura e dos hospitais apresentaram a situação em que se encontra o atendimento à população, quais os recursos disponíveis e possíveis formas de aumento da capacidade. Eles destacaram que há falta de profissionais, principalmente pelos afastamentos devido à infecção pelo coronavírus, e carência por mais leitos de UTI infantil.

Os vereadores da Casa apontaram a necessidade da abertura de mais locais para atendimento e testagem de pacientes com síndrome gripal e contribuíram com sugestões de ações preventivas. Eles também relataram que têm sido procurados pela população que sofre ao enfrentar longas filas nos equipamentos de saúde do município.

PROVIDÊNCIAS

Ao final da discussão, o presidente Roselei listou os encaminhamentos definidos. A Câmara irá tomar as seguintes providências: entrará em contato com a Secretaria Municipal de Habitação para agilizar a autorização de abertura do novo hospital da Unimed, garantindo novos leitos; entrará em contato com o Ministério Público para solucionar a questão do Termo de Ajustamento de Conduta realizado com a Prefeitura que limita o valor pago por plantão aos médicos, dificultando a contração de profissionais; e agendará uma reunião com o DRS III (Departamento Regional de Saúde) e com o secretário estadual de Saúde, por intermédio do deputado federal Herculano, para a liberação de verbas.

Para a Prefeitura, foram pontuadas as seguintes ações: aumentar o número de testes de Covid para a população, garantindo a testagem em massa, e informar à Câmara sobre a possibilidade de remanejamento de verbas para suprir as demandas da Saúde.