REGIÃO | São Carlos reduz em 46% o número de mortes no trânsito em 2016

As mortes decorrentes de acidentes de trânsito no município de São Carlos tiveram queda de 46% no acumulado de 2016 (25 óbitos) em relação ao mesmo período de 2015 (46 óbitos). Araraquara registrou 7% de queda nas mortes: 41 óbitos em 2016 contra 44 óbitos em 2015. Na região, a diminuição foi de 12%, segundo levantamento do Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo (Infosiga SP), divulgado nesta quinta-feira, 19/01.

ESTADO

O Movimento Paulista de Segurança no Trânsito – programa do Governo do Estado de São Paulo que tem como objetivo reduzir o número de óbitos no trânsito até 2020 – acaba de divulgar o fechamento do número total de mortes em virtude de acidentes de trânsito em 2016.

Segundo o INFOSIGA-SP (Sistema de Informações Gerenciais de Acidentes de Trânsito do Estado de São Paulo) – ferramenta técnica que contabiliza e divulga mensalmente os óbitos decorrentes de acidentes de trânsito nos 645 municípios paulistas – o número de mortes decorrentes de acidentes de trânsito apresentou uma queda de 5,6% em todo o Estado de São Paulo no acumulado de 2016 (5.727 óbitos) em relação ao mesmo período de 2015 (6.066 óbitos), contabilizando 339 vidas preservadas.

Em relação aos 15 municípios conveniados* dentro do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, a queda foi ainda mais expressiva, atingindo o patamar de 10,6%, com menos 61 mortes no acumulado 2016 (578 óbitos) em comparação a 2015 (517 óbitos).

Dos 5.727 óbitos ocorridos no Estado de São Paulo em 2016, 79% eram homens. 16% estavam na faixa etária de 18 a 24 anos (898 vítimas). Colisão (acidente de trânsito envolvendo dois ou mais veículos. Pode ser traseira, frontal, transversal ou lateral) foi a responsável pela maioria dos acidentes com 37% das estatísticas (2.126 ocorrências), seguido por atropelamento com 27% (1.531 ocorrências) e choque (colisão de um veículo em movimento com um obstáculo fixo ou veículo fora de circulação da via) com 13% (761 ocorrências). Em motocicletas estavam 30% das vítimas (1.737 ocorrências), 26% eram pedestres (1.489 ocorrências), 25% estavam em automóvel (1.429 ocorrências), 6% eram ciclistas (349 ocorrências), 3% estavam em caminhão (144 ocorrências) e 1% estavam dentro de ônibus (54 ocorrências).

Em relação aos acidentes com vítimas foram registradas 192.582 ocorrências no acumulado de 2016 contra 239.508 no mesmo período de 2015, uma diminuição de 20% em todo o Estado de São Paulo.

Além da ferramenta INFOSIGA-SP, o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito conta, desde dezembro, com o sistema inédito de georreferenciamento INFOMAPA-SP. Desde então, é possível não só quantificar os óbitos dos 645 municípios paulistas por meio do INFOSIGA-SP, como também mapear os locais dos acidentes que levaram a essas mortes, por meio do sistema do INFOMAPA-SP. Ambas ferramentas podem ser acessadas pelo site: www.infosiga.sp.gov.br e são atualizadas todo dia 19 de cada mês.

Para mais informações sobre as metodologias do INFOSIGA-SP e INFOMAPA-SP, acesse: http://www.infosiga.sp.gov.br/relatorios/Nota_T%c3%a9cnica_Infosiga_Infomapa_SP.pdf.

Balanço 2016 do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito

O Governo do Estado de São Paulo vem investido constantemente, por meio do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, em atividades voltadas à educação no trânsito, segurança das vias e veículos, além da gestão nas respostas para acidentes, fiscalização, obras e campanhas de comunicação.

O resultado positivo na diminuição no número de óbitos e acidentes com vítimas em 2016 é fruto de um trabalho conjunto que envolve 10 Secretarias de Estado e parceiros da iniciativa privada. Em 2016, o Movimento Paulista de Segurança no Trânsito realizou mais de 200 atividades de educação, além de lançar 15 filmes de conscientização em prol da mudança de comportamento no trânsito em emissoras de TV, rádios, internet e redes sociais.

Dentre as ações de destaque, pode-se mencionar o Programa Direção Segura, coordenado pelo Detran.SP, para fiscalização da Lei Seca, que teve um aumento de 291% nas blitze no Estado de São Paulo, no período de 2013 a 2016. Foram aplicados mais de 114 mil testes de etilômetro (bafômetro) desde fevereiro de 2013, quando foi lançado. No período, foram realizadas mais de 11 mil autuações por embriaguez ao volante. Além da Operação Direção Segura, vale ressaltar que a Lei Seca é fiscalizada em todo o Estado também nas ações rotineiras da Polícia Militar, da Polícia Militar Rodoviária e da Polícia Rodoviária Federal. 

PROGRAMA DIREÇÃO SEGURA
ANO TESTES ETILÔMETRO AUTUAÇÕES Nº BLITZE
2013 12.746 1.226 67
2014 18.054 1.821 120
2015 35.476 3.624 222
2016 47.768 5.037 262

Em se falando de rodovias sob concessão, vale mencionar o número de atendimentos médicos que chegou a 62.840, uma média diária de 172 ocorrências atendidas pelas 147 ambulâncias que atendem os 6,9 mil quilômetros da malha concedida.

Em relação ao trabalho da Polícia Militar nas rodovias paulistas, são priorizadas cinco ações de fiscalização (cinto de segurança e demais dispositivos de retenção, motociclistas, ultrapassagens proibidas, limites de velocidade e alcoolemia), bem como uma atividade voltada para a educação para o trânsito com foco nos pedestres, fazendo com que no período de 2011 a 2016, o Policiamento Rodoviário contribuísse com a redução de mais de 26% no número de mortos e 20% de feridos decorrentes de acidentes de trânsito nas rodovias estaduais.

Por meio do DER (Departamento de Estradas de Rodagem), foi realizado, ao longo de 2016, o projeto DER na Escola, que consiste em conscientizar as crianças sobre a importância de um comportamento responsável no trânsito, em especial nas escolas próximas às rodovias. Foram impactados 6.021 alunos em 47 escolas de diversos municípios de São Paulo, além de mais 523 crianças envolvidas em ações nos parques.

Além do lançamento do Infomapa-SP e do Infosiga-SP, ambos realizados em 2016, e do primeiro ano do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito, comemorado em agosto, outras frentes foram colocadas em prática nesse período, tais como:

  • Implantação do Programa de Apoio aos Municípios – com os objetivos de fornecer auxílio para a estruturação da gestão da segurança viária em cada um dos 15 municípios conveniados* (Amparo, Atibaia, Barretos, Catanduva, Fernandópolis, Itanhaém, Jacareí, Piedade, Praia Grande, Registro, Ribeirão Preto, São Carlos, São José do Rio Preto, São Roque e Sorocaba) e dar apoio financeiro para a realização de ações com o potencial de contribuir com a redução das mortes. Nestes municípios, estão sendo realizadas visitas de diagnóstico e construídos planos de ação para antecipar situações e realizar melhorias com relação a infraestrutura, fiscalização e conscientização. Um dos exemplos é a formação de um Comitê de Segurança de Trânsito em cada município. O Comitê é composto por representantes dos órgãos e setores com atuações relacionadas ao tema (Polícias Militar e Civil; Setores de Engenharia de Tráfego, Educação e Fiscalização no Trânsito; Unidades de Saúde/Hospitais; SAMU; Corpo de Bombeiros; DETRAN; Concessionárias/DER) com o objetivo de realizar análises e levantamentos de possíveis causas e soluções para a redução de acidentes e óbitos nos municípios.

Para 2017, o Governador Geraldo Alckmin anunciou a ampliação dos convênios para mais 52 novos municípios, com um investimento de R$ 100 milhões também fruto da parceria com o Detran-SP, de recursos provenientes das multas de responsabilidades do órgão.

  • Introdução do tema “Segurança Viária” nos conselhos comunitários de segurança pública (CONSEGs) – Representantes da equipe central dos CONSEGs e do Movimento Paulista de Segurança no Trânsito participaram de encontros presenciais que alcançaram cerca de 70 das 400 cidades que possuem esse órgão.
  • Novas concessões em rodovias – foram lançados dois novos lotes de concessão em 2016 visando melhorar ainda mais os serviços oferecidos ao cidadão. No total, estes dois lotes contemplam 1.669 km, sendo importante ressaltar que os novos editais reforçaram a atenção dada aos parâmetros de segurança viária, incluindo a necessidade de implantação de um Plano de Segurança ao Usuário pela concessionária, por exemplo.
  • Intervenção em pontos críticos – Com base em dados de 2015 sobre a ocorrência de acidentes de trânsito e óbitos a eles relacionados nas rodovias estaduais administradas pelo poder público, foi feito um mapeamento de 500 pontos críticos. Este mapeamento, então, deu origem a projetos de melhorias e obras, sendo que eles foram ou estão sendo feitos em 109 pontos.
  • Capacitação de professores e formação de alunos das ETECs e das FATECs – Foram capacitados em 60 educadores de 31 escolas e faculdades técnicas estaduais através de um curso semipresencial envolvendo a discussão de temas relacionados ao trânsito, a aprendizagem por projetos e o potencial educacional dos jogos.

Deixe uma resposta