POLÍTICA | Lucão busca recursos para projeto que trata de recém-nascidos

O vereador e presidente da Comissão Permanente de Saúde e Promoção Social da Câmara Municipal, Lucão Fernandes (PMDB) está solicitando à Prefeitura que destine recursos para um projeto que cuida de recém-nascidos com alguma síndrome, denominado Intervenção Precoce para Lactantes de Risco, da UFSCar. O programa, inserido na USE (Unidade de Saúde Escola) da universidade, atende recém-nascidos e crianças de até três anos que possuam algum tipo de alteração neurosensoriomotora, com maior probabilidade de apresentar atrasos no desenvolvimento.

Na tarde desta segunda-feira (13), o vereador Lucão visitou a sede do projeto junto com a primeira-dama e presidente do Fundo Social de Solidariedade, a médica Rosária Mazzini, a pedido do prefeito Airton Garcia. Na ocasião, a primeira-dama elogiou e destacou a relevância do trabalho realizado com os bebês que são encaminhados pelo SUS (Sistema Único de Saúde). Os visitantes foram recebidos pela coordenadora do projeto, a professora doutora Eloisa Tudella, que detalhou o atendimento que é dado. O projeto existe há 30 anos e, segundo a professora, além de atender bebês de risco da cidade, permite capacitar profissionais de diversas áreas, como fisioterapeutas, médicos e terapeutas ocupacionais da universidade a avaliar e diagnosticar bebês em risco.  O programa também permite coletar dados para pesquisa, como trabalhos de pós, especialização, mestrado e doutorado e de ensino nessa área de atuação profissional.

APOIO

Há cerca de um mês o vereador apresentou o projeto ao prefeito Airton Garcia, que solicitou à primeira-dama e médica que conhecesse o trabalho realizado pelo programa. O vereador aponta que o prefeito se sensibilizou com o projeto, verificando a necessidade de apoiá-lo com a destinação de recursos. “Trata-se de um projeto de extrema importância para a cidade, pois atende casos encaminhados pelo SUS de crianças recém-nascidas de até três anos que tenham as síndromes de Down, West, Hertt, Dandy Walker, entre outras. A primeira-dama, que é médica, inclusive, conheceu o projeto e verificou o quanto esses bebês precisam do apoio do Poder Público”, ressaltou Lucão, agradecendo à primeira-dama por acompanhá-lo na visita.

Outros casos que são atendidos pelo programa: paralisia cerebral, mielo meningo cele, atraso na coordenação motora, artro-gritose, microcefalia e macrocefalia, hidrocefalia.“É um programa voltado para bebês de nossa cidade que apresentam alguma síndrome e que necessitam de cuidados especiais. Quanto antes for iniciado o atendimento, mais fácil ficará capacitar o bebê para que ele cresça saudável e com mais qualidade de vida, permitindo ser uma criança mais ativa e participativa”, destacou a professora. 

São atendidos cerca de oito bebês por semana, chegando a uma média de 40 atendimentos por mês e, além disso, são realizadas visitas em casa e na escola, para acompanhamento das crianças. A professora apontou ainda que o programa visa intensificar seus objetivos, ampliando as ações que realiza. “Também queremos oferecer atividades com os pais e/ou cuidadores dos lactantes atendidos, visando proporcionar a eles mais conhecimento da condição dos seus filhos e orientá-los ao estímulo em casa durante as atividades diárias”, acrescentou a professora. 

Deixe uma resposta