POLÍTICA | Transporte público terá audiências públicas em bairros e comissão para acompanhar processo licitatório

Realizar audiências públicas em bairros para debater o modelo de transporte público da cidade e a criação de comissão de trabalho mista  ‒ composta por representantes da Câmara,  Prefeitura e sociedade civil  ‒ para nortear o processo licitatório do serviço em São Carlos – foram encaminhamentos da audiência pública que discutiu o transporte coletivo na cidade, na última quarta-feira (30) na Câmara Municipal.

Em relação ao contrato emergencial de 180 dias, segundo o vereador Roselei, foi defendida a melhoria dos serviços e a ampliação da fiscalização e monitoramento por parte da Prefeitura Municipal, gestora do contrato.

O tema segue em pauta na Câmara Municipal, que nesta sexta-feira (31), encerra o prazo da Consulta Pública sobre o transporte coletivo  em seu portal de internet (www.camarasaocarlos.sp.gov.br). O resultado da consulta será formalizado em documento a ser endereçado ao Ministério Público e Prefeitura.

A audiência foi aberta pelo vereador Leandro Guerreiro (PSB), presidente da Comissão de Urbanização, Transportes e Habitação, e conduzida pelo vereador Roselei Françoso (REDE).

Compareceram vereadores, o secretário municipal de Transportes, Antonio Clóvis Pinto Ferraz, os promotores de Justiça Sérgio Martin Piovesan de Oliveira e Denilson de Souza Freitas,  o diretor do campus de São Carlos do Instituto Federal de Educação e Tecnologia de São Paulo, Arthur Mega e representantes da empresa Suzantur, Jeferson Vieira, do  Movimento Transporte Justo, Arthur Mega, da Associação de Surdos de São Carlos, Lucas Miguel França, da OAB, José Reis e da APEOESP, Ronaldo Motta.

Além de Roselei e Leandro, compareceram os vereadores  João Muller (PMDB), Rodson Magno (PSDB), Sergio Rocha (PTB), Luis Enrique (Democratas) , Edson Ferreira (PRB), Dimitri Sean (PDT), Cidinha do Oncológico (SD), Roberto Mori Roda (PSDB), Paraná Filho (PSB), Elton Carvalho (PSB), Azuaite França (PPS), Lucão Fernandes (PMDB) e Chico Loco (PSB). Justificaram ausência Gustavo Pozzi (PR) e o presidente Julio Cesar (Democratas), que cumpriu compromissos em São Paulo.

Mais de uma centena de pessoas compareceu ao Edifício Euclides da Cunha durante a audiência, com duração de cerca de três horas. Conforme a deliberação final a comissão de trabalho deverá ser integrada por representantes de pessoas com deficiência, Movimento Transporte Justo e Conselho dos Usuários do transporte coletivo para que de forma técnica possam colher dados junto à população e a Secretária de Transporte e Trânsito para fundamentar a elaboração do edital licitatório para exploração do serviço na cidade.

Entre as reivindicações s expressas pelos participantes da audiência esteve a adequação do serviço de ônibus para atender aos moradores de novos conjuntos habitacionais constituídos na cidade, como Araucária, Eduardo Abdenlur e Planalto Verde. Também os alunos do IFSP apontam dificuldade com o transporte coletivo. O assunto motivou, segundo o vereador Roselei Françoso, o agendamento de uma reunião nesta sexta-feira (31) às 14 horas, na Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito.

O promotor de Justiça Denilson Freitas informou, ao final da audiência, que independentemente da formação da comissão de trabalho, o MP poderá tomar providências com relação à licitação definitiva e em relação ao contrato emergencial do serviço de transporte público. “Estamos verificando não só a qualidade como a regularidade da contratação e o cumprimento do prazo”, disse.

Deixe uma resposta