NACIONAL | Deputados condenam vandalismo e violência em manifestação de centrais sindicais

O ato realizado nesta quarta-feira (24) por centrais sindicais contrárias ao governo terminou em confronto e vandalismo na Esplanada dos Ministérios, em Brasília. Parlamentares do PSDB condenaram as ações de violência e depredação que resultaram em 49 feridos e vários prédios públicos destruídos. Ao todo, nove edifícios foram depredados, incluindo os ministérios da Fazenda e da Agricultura, que foram incendiados. Paradas de ônibus, placas de sinalização e banheiros químicos também foram alvo de manifestantes. Pelo menos oito pessoas foram presas. O líder do PSDB no Senado, Paulo Bauer, de Santa Catarina, lamentou que um movimento que deveria ter sido democrático se transformou em um ato político que gerou o caos na capital.

“Ontem, em Brasília, nós vimos uma manifestação organizada pelas centrais sindicais fugir do controle. Isso porque, além de querer protestar contras reformas indispensáveis e necessárias para o futuro do país, se transformou também em uma manifestação política produzida, e trouxe ações impróprias e negativas.”

Deputado federal pelo PSDB do Acre, Rocha aponta que alguns manifestantes mascarados, armados com bombas e pedras, foram até o protesto com a intenção de depredar o patrimônio público, e que por isso devem ser penalizados. Além disso, o tucano condena a postura de parlamentares do PT e aliados, que usaram as redes sociais para propor a desobediência civil – como o senador petista Lindbergh Farias. Rocha afirmou que está reunindo posts e imagens da internet para apresentar ao Ministério Público Federal e propor uma investigação.

“Já temos esse material e vamos juntar com essas postagens na internet de líderes partidários, de parlamentares ligados ao PT e partidos que tem vinculação, e vamos cobrar do Poder Judiciário – por meio do Ministério Público e da Polícia Federal – a investigação e a punição daqueles que tentam confundir democracia com balbúrdia.”

O deputado federal Lobbe Neto, do PSDB de São Paulo, condenou a ação ordenada de sindicatos e partidos para trazer caravanas até o protesto, a fim de instalar a desordem. Ele lembrou que as manifestações pelo impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff foram diferentes, e tiveram participação ampla da população.

“Houve uma grande manifestação popular, pacífica, ordenada e em um domingo. Todos puderam trabalhar durante a semana, ir para as ruas e participar. Milhões de pessoas pedindo pacificamente o impeachment da ex-presidente Dilma. Mas o que nós vimos ontem, em Brasília, foi lamentável.”

Segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal, o ato começou pacífico, por volta de meio-dia, com uma caminhada de manifestantes do Estádio Mané Garrincha até a Esplanada. Minutos depois, grupos furaram os bloqueios e deram início à confusão. 

Deixe uma resposta