SÃO CARLOS | Airton Garcia determina rigor na apuração das mortes ocorridas na Maternidade

O prefeito Airton Garcia e o secretário de Saúde, Caco Colenci, se reuniram na manhã desta sexta-feira (9), com o provedor da Santa Casa, Antônio Valério Morillas Júnior, o coordenador da Maternidade, Humberto Kirakawa e Eduardo Pramparo, gerente hospitalar, para solicitar rapidez na apuração das responsabilidades das mortes ocorridas na Maternidade Dona Francisca Cintra.

Airton Garcia solicitou esforço por parte do hospital para que sejam apurados todos os óbitos e a possibilidade de afastamento dos profissionais envolvidos até a apuração final dos casos.

O prefeito também propôs novas parcerias. “O importante é o esclarecimento dos fatos e também a melhoria dos serviços oferecidos. Estamos cobrando, mas também propondo o oferecimento de novos serviços para melhorar o atendimento das nossas gestantes. Já temos uma contratualização com a Santa Casa em várias áreas e pretendemos ampliar essa oferta. A união de todos é muito importante para a resolução dos problemas. A oferta de uma saúde de melhor qualidade para a nossa população depende dessa parceria”, afirmou Airton Garcia.

O secretário de Saúde solicitou cópia integral das sindicâncias. “Vamos analisar o que está sendo feito e se houver indícios de irregularidades, a pedido do prefeito, vamos encaminhar para o Conselho Regional de Medicina (CRM) e para o promotor de justiça. Também sugerimos, claro que resguardada a ampla defesa dos envolvidos, a substituição dos profissionais que estavam no atendimento nos dias em que as mortes ocorreram, até o esclarecimento total dos fatos”, ressaltou Colenci.

O secretário também conversou com o coordenador da Maternidade, médico Humberto Kirakawa, sobre a implantação dos ambulatórios. “Nossa sugestão ao secretário é a criação de dois ambulatórios diferentes que vão funcionar de forma integrada. O ambulatório de final de gravidez receberia pacientes a partir da 36ª semana de gestação. Uma avaliação semanal seria realizada, principalmente, no aspecto da vitalidade fetal. A gestante seria acompanhada nessa fase final, que é a fase mais crítica. O outro ambulatório é o de urgências relativas. O objetivo é regular o acesso a maternidade de maneira que haja uma maior atenção as emergências. Ao ter dificuldade na rede de atenção básica, a paciente encontraria o atendimento na maternidade. Na verdade a ideia não é a paciente perder o vínculo com a rede de atenção básica, mas sim ficar com um segundo ponto de avaliação”, explicou Kirakawa.

“O prefeito já autorizou a implantação dos ambulatórios, bem como, a contratualização desse serviço junto a Santa Casa. Vamos verificar quais reformas serão necessárias no prédio da Maternidade para oferecer, o mais rápido possível, esse atendimento diferenciado para as gestantes de São Carlos”, afirmou Caco Colenci.

Para Antônio Valério Morillas Júnior a cobrança do prefeito é legítima. “Ele está preocupado com os últimos acontecimentos e está correto quando exige que melhoremos a qualidade da saúde da nossa cidade. Nos propôs mudanças e a criação de novos ambulatórios, o que é importante para o hospital. Reconhecemos que ele herdou muitos problemas que não foram resolvidos no passado na área da saúde, mas o importante é que tem força e vontade política para resolvê-los”, garante o provedor.

O prefeito e o secretário de Saúde também visitaram as instalações da Maternidade Dona Francisca Cintra para ver como poderá ser realizada a reestruturação física necessária para a implantação dos ambulatórios.

A maternidade realiza 300 partos por mês, sendo 150 pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Os partos de alto risco chegam a 30% e 60 pacientes por semana chegam com risco gestacional.

Deixe uma resposta