NACIONAL | Lobbe Neto defende projeto da ‘Alimentação Escolar’ para combater obesidade no país

Cada vez mais atingidas por doenças como diabetes, hipertensão e anemia, as crianças devem ter hábitos alimentares vigiados. O deputado federal Lobbe Neto, do PSDB paulista, propôs um Projeto de Lei (PL 128/07), que inclui no currículo escolar das escolas públicas e particulares, o tema “alimentação escolar” nas disciplinas de Biologia e Ciências. A matéria já foi aprovada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, da Câmara dos Deputados, e aguarda apreciação do Senado Federal. O tucano explicou como a obesidade vem tomando grandes proporções no Brasil.

“Conseguimos aprovar, aqui na Câmara dos Deputados, uma matéria muito importante. Uma matéria com a sua transversalidade, principalmente, na área de Biologia e Ciências, que é a educação alimentar. Hoje é muito importante. O aumento da obesidade infantil, principalmente, na América Latina, está cada vez mais alto. Nós temos muitos brasileiros, jovens, adolescentes e crianças, já obesos. E ele será também um adulto obeso, se não tomar algumas atitudes”, contou.

O parlamentar tucano ressaltou como a formação alimentar também é responsabilidade das escolas. “Uma das atitudes mais importantes é através da educação, através do currículo escolar, para que possa ter essa educação alimentar. Saber o que é saudável na sua alimentação, o que é importante para que, no futuro, tenha uma quantidade de adultos com menos diabetes, menos hipertensão e doenças cardiopatas. Por isso, precisamos trabalhar bem essa questão, para diminuir o número de crianças e jovens obesos no nosso país”, reiterou.

No Brasil, a obesidade e o sobrepeso vêm crescendo, com um impacto maior nas mulheres e uma tendência de crescimento entre as crianças, de acordo com relatório conjunto da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e a Organização Pan-americana de Saúde (Opas), divulgado neste ano.

O estudo detectou que mais da metade da população brasileira está com sobrepeso e a obesidade já atinge a 20% das pessoas adultas. O documento foi elaborado com base em dados da Organização Mundial de Saúde (OMS). O sobrepeso em adultos no Brasil saltou de 51,1% em 2010, para 54,1% em 2014. Outro dado do relatório é o aumento do sobrepeso infantil. Estima-se que 7,3% das crianças menores de cinco anos estão acima do peso, sendo as meninas as mais afetadas, com 7,7%.

A urbanização e a mudança nos padrões de consumo são alguns aspectos que podem justificar o crescente aumento do sobrepeso. Segundo o relatório, muitas famílias têm deixado de consumir pratos tradicionais e aumentado a ingestão de alimentos ultra-processados e de baixa qualidade nutricional.

Na América Latina, a taxa de obesidade entre as crianças é superior à média mundial e chega a 8% (o índice global é de 6,7%). A alimentação saudável é um dos maiores desafios para combater a obesidade infantil e melhorar a saúde de todas as pessoas.

 

Deixe uma resposta