POLÊMICA | Em nota, Suzantur informa que vai abandonar transporte coletivo no dia 26 de janeiro

 

Verificando a proximidade do prazo estabelecido no Decreto n° 262, publicado no Diário Oficial do Município de São Carlos, que determinou a continuidade da prestação de serviço de transporte público coletivo urbano na cidade pelo período de 90 (noventa) dias após a data de publicação, que foi 10 de outubro de 2017, a Transportadora Turística Suzano (Suzantur), filial São Carlos, se manifestou, nos últimos dias, junto ao Ministério Público e à Prefeitura Municipal.

Considerando o período anterior de 90 dias suficiente para realização de contratação emergencial ou licitação, a Suzantur comunicou ao Ministério Público (no dia 18 de dezembro de 2017) e à Prefeitura Municipal (nesta quarta-feira 27 de dezembro) que deverá parar suas atividades em 26 de janeiro de 2018.

A empresa, que segundo Decreto já poderia paralisar suas atividades em 8 de janeiro de 2017 (90 dias após publicação), ainda estendeu por mais 30 dias, a partir da data de seu comunicado à Prefeitura (27.12), a prestação de serviço, em atenção a um pedido do MP e por entender a importância desse serviço à coletividade e possibilitar que sejam tomadas, nesse período, as providências necessárias por parte da Prefeitura.

A Suzantur vem sofrendo com a falta de pagamento do custeio da gratuidade (subsídio), desde janeiro de 2017, por parte da Prefeitura Municipal de São Carlos, o que a impôs um colapso financeiro e um prejuízo de mais de nove milhões de reais até o momento.

A empresa veio a São Carlos em agosto de 2016 para cumprir contrato emergencial de seis meses, na época decidido pelo município em reunião com o Ministério Público. No período, por ordem da Justiça, a Prefeitura deveria fazer a nova licitação do transporte público, o que ainda não aconteceu.

1 thought on “POLÊMICA | Em nota, Suzantur informa que vai abandonar transporte coletivo no dia 26 de janeiro

  1. Pois é, a prefeitura municipal de São Carlos deveria se pronunciar a respeito afinal, ela é a contratante. Quem trabalha gratuitamente? Existem custos, compromissos e a contrapartida? Empresas privadas são organizadas, fazem contas, cumprem o estabelecido no Planejamento, administram orçamentos, buscam constantemente a eficiência gestionária e se há clientes que coloque o negócio em risco, é melhor cancelar o contrato ou não prorrogá-lo. Ainda que o Grupo Suzantur aufira lucros, pode ser que a Unidade de São Carlos esteja trabalhando no prejuízo e que empresário suporta isso. Deve se buscar uma solução o quanto antes ou não?

Deixe uma resposta