NACIONAL | Lobbe Neto afirma que reforma tributária é uma grande justiça social

A reforma tributária, proposta pelo deputado tucano Luiz Carlos Hauly (PSDB-PR), é um dos itens mais importantes para garantir que todos os brasileiros paguem impostos justos e condizentes com a realidade do país. O projeto prevê a extinção de sete tributos federais (IPI, IOF, CSLL, PIS, Pasep, Cofins e salário-educação), do ICMS (estadual) e do ISS (municipal). No lugar deles, seriam criados três: o Imposto sobre Valor Agregado (IVA), o Imposto Seletivo e a Contribuição Social sobre Operações e Movimentações Financeiras.

Para o deputado federal Lobbe Neto, do PSDB paulista, o sistema tributário atual é defasado e injusto. “O sistema tributário brasileiro é um dos piores do mundo. Está na hora de ser modernizado e de fazermos uma reforma. O PSDB apoia sim, uma reforma tributária”, avalia.

O momento é propício para a reforma tributária ganhar força. O projeto é apoiado por empresários e trabalhadores que defendem a diminuição do número de impostos com a simplificação do sistema.

Lobbe ainda ressaltou o preparo do deputado Hauly, dentro do tema, e a bandeira tucana em prol da modernidade econômica. “O deputado Hauly, relator dessa reforma, é um especialista na área tributária e o seu relatório pretende que quem ganha pouco pagará menos, enquanto quem ganha mais pagará mais. Vamos fazer uma grande justiça social. É uma boa reforma. Uma bandeira do nosso partido”, afirma.

Relator desta matéria na Comissão Especial da Câmara, Hauly tem sido, há mais de 20 anos, um líder nacional na defesa da Reforma Tributária. Desde que assumiu a relatoria, realizou dezenas de palestras pelo Brasil para diversos setores. A nova contribuição seria usada para permitir a redução das alíquotas da contribuição previdenciária paga pelas empresas e trabalhadores. O objetivo é introduzir um sistema avançado, com uma simplificação, diminuição dos impostos e o fim da burocracia. A matéria também visa corrigir distorções históricas na carga tributária do país – que pune o cidadão que ganha menos.

Deixe um comentário