ALERTA | Com dois casos de Dengue, Prefeitura faz campanha de combate ao mosquito

A Prefeitura de São Carlos inicia nos próximos dias uma campanha publicitária de combate ao Aedes aegypti. Os materiais serão veiculados em emissoras de TVs, rádios, internet e redes sociais. O objetivo é alertar a comunidade sobre o risco do aumento das doenças transmitidas pelo mosquito. São Carlos tem dois casos importados de Dengue confirmados em 2019. Terminou o ano de 2018, com 26 casos de Dengue, 16 autóctones e 10 importados; e 3 casos de Chikungunya importados.

Mesmo com apenas dois registros importados de Araraquara, a Vigilância Epidemiológica está em alerta por causa do número de casos do município vizinho. De acordo com dados da Prefeitura de Araraquara, a cidade encerrou o ano de 2018 com 1.131 casos confirmados. Em 2019, até 17 de janeiro, foram confirmados 24 casos de Dengue (com início dos sintomas e tratamento em 2019).

A proximidade geográfica e o intenso trânsito entre os dois municípios preocupam, além do sorotipo 2 registrado em Araraquara. “São Carlos não teve registro do sorotipo 2, a população está suscetível. O risco do vírus tipo 2 se instalar na cidade é alto e isso pode significar um grande número de casos graves da doença”, afirmou Denise Scatolini, instrutora e coordenadora da equipe municipal de Combate às Endemias.

Para o combate ao Aedes aegypti, as equipes da Prefeitura seguem realizando vistoria de rotina nos imóveis, bloqueio-controle de criadouros em situações de casos suspeitos de Dengue, Chikungunya, Zika e Febre Amarela, bloqueio de nebulização em casos confirmados, vistoria e pesquisa larvária em imóveis especiais e pontos estratégicos.

Todo o trabalho faz parte do Plano de Ações Contra o Mosquito Aedes aegypti 2019, encaminhado à Regional da SUCEN – SR06, em outubro de 2018.

O município também está realizando o ADL (Avaliação de Densidade Larvária), mais conhecido como LIRAa, levantamento determinado pelo Ministério da Saúde com avaliações em janeiro, abril, julho e outubro. O objetivo do trabalho é avaliar os níveis de infestação do mosquito na cidade.

As áreas de maior risco de criadouros estão sendo monitoradas e as informações avaliadas para a realizações de outras atividades como mutirões de limpeza.

VERÃO

Esse é o período do ano propício para à proliferação do mosquito Aedes aegypti. Altas temperaturas, chuvas intensas e alta umidade são os ambientes preferidos do mosquito.

É preciso ficar atento a todo e qualquer recipiente que possa acumular água dentro de casa, nos quintais e nos terrenos baldios. A eliminação dos criadouros ainda é a principal medida preventiva de combater o mosquito transmissor da Dengue, Chikungunya e Zika.

AGENTES

A instrutora e coordenadora da equipe municipal de Combate às Endemias, Denise Scatolini, destaca a importância do trabalho dos agentes de endemias e solicita que a população receba os profissionais. “Todos têm papel essencial na luta contra o mosquito Aedes aegypti. Os moradores precisam permitir a entrada do agente e acompanhá-lo na vistoria dentro e fora da casa, para a identificação de possíveis focos e orientações necessárias para evitar a proliferação do mosquito transmissor”, afirmou.

Os moradores que tiverem alguma dúvida sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti podem entrar em contato com Vigilância Epidemiológica pelo telefone (16) 3307-7405.