COVID | São Carlos vai receber 3.050 doses da vacina Astrazenece/Oxford

O Departamento de Vigilância em Saúde de São Carlos recebeu a informação do Grupo de Vigilância Epidemiológica – Diretoria Regional de Saúde de Araraquara (DRS III) que o Centro de Vigilância Epidemiológica do Governo do Estado de São Paulo vai encaminhar para a Regional 11 mil doses da vacina AstraZeneca/Oxford, desenvolvida em com a Fiocruz (Fundação Oswaldo Cruz).

São Carlos deverá receber nesta quarta-feira (27/01), no período da tarde, da DRS-III de Araraquara, 3.050 doses da vacina AstraZeneca/Oxford. As doses também serão utilizadas para a imunização de profissionais da área de saúde.

São Carlos recebeu até o momento 3.960 doses da vacina Coronavac e 1.293 já foram aplicadas em profissionais da saúde que trabalham na área de atendimento a COVID-19, ou seja, que atendem diretamente pacientes com suspeita e/ou infectados.

As equipes da Vigilância Epidemiológica e da Atenção Básica estão aplicando as doses diretamente nos hospitais, unidades de pronto atendimento (UPAS) e no SAMU. Os profissionais que trabalham no Centro de Atendimento de Triagem – Síndrome Gripal em funcionamento no Ginásio Milton Olaio Filho, também já foram imunizados.

“A previsão é que ainda essa semana terminamos a aplicação dessa primeira remessa da Coronavac e iniciaremos a aplicação da AstraZeneca/Oxford, também em profissionais da saúde, porém ainda não sabemos oficialmente se esse total é para as duas doses acreditamos ser somente para a primeira. No dia 11 de fevereiro temos que iniciar a aplicação da segunda dose da Coronavac nessas 3.960 pessoas que receberão a primeira. Vale ressaltar que todos serão imunizados, porém baseados nos números da Campanha Nacional de Imunização contra Influenza, realizada em 2020, São Carlos precisa vacinar 10 mil profissionais da saúde e para isso precisa de 20 mil doses, já que independente do laboratório, são previstas duas doses do imunizante”, ressalta a diretora.

Já Kátia Spiller, supervisora da Vigilância Epidemiológica, relembra que pelo cronograma inicial do Plano Estadual de Imunização no dia 8 de fevereiro deveria começar a vacinação de idosos com 75 anos ou mais. “As pessoas precisam ter paciência, a ideia é vacinar todos, mas para isso precisamos de mais doses das vacinas. Não temos informações oficiais se esse calendário será cumprido. Mas conforme os imunizantes chegarem vamos fazendo a aplicação em todos que têm direito”, alerta Spiller.

FIOCRUZ

A previsão da Fiocruz é que a produção ganhe maior escala nas próximas semanas. A partir de 22 de fevereiro, a Bio-Manguinhos deve entregar 700 mil doses diárias ao Programa Nacional de Imunizações (PNI). O acordo entre o governo federal, a farmacêutica AstraZeneca e a Universidade de Oxford prevê que 100,4 milhões de doses serão produzidas no primeiro semestre de 2021 com ingrediente farmacêutico ativo importado. No segundo semestre, a Fiocruz vai nacionalizar a produção do IFA, o que permitirá entregar mais 110 milhões de doses ao PNI.

BUTANTAN

A Embaixada da China garantiu a liberação de 5.400 litros de insumos para a vacina Coronavac/Sinovac. A China é o país de origem da matéria-prima. Por conta da falta do insumo, o Instituto Butantan, em São Paulo, está há mais de uma semana sem produzir novas doses da vacina contra a COVID-19. Segundo o Governo do Estado de São Paulo o primeiro lote de insumos deve chegar ao país no dia 3 de fevereiro. Com essa quantidade de insumos serão produzidas 8,6 milhões de doses em 20 dias.