CRIME EM CRAVINHOS | Suspeita de matar o filho não aceitava homossexualidade do jovem, diz tio

O tio paterno do adolescente que foi encontrado morto em Cravinhos (SP) disse a EPTV que o jovem era trabalhador e educado. O corpo de Itaberli Lozano, de 17 anos, foi encontrado carbonizado em um canavial.

“Ele era um rapaz que trabalhava, era educado, era um menino, de 17 anos, estava na fase de trabalhador, a suspeita era de que ele era homossexual, mas nunca pegamos drogas, a família nunca anunciou drogas é a primeira vez que soubemos através da mãe dele (sobre drogas), mas acho que isso é só para afastar ainda mais a investigação”, disse Dario Rosa em vídeo da EPTV que está no portal G1.

A mãe e o padrasto foram presos nesta quarta-feira (11), após confessarem à polícia serem os autores do crime. Em depoimento, a gerente de supermercado Tatiana Lozano Pereira, de 32 anos, contou que matou o filho a facadas durante uma discussão.

Já o padrasto, o tratorista Alex Pereira, de 30 anos, disse que levou o corpo de Lozano até o canavial, onde foi incendiado. Os restos mortais foram encontrados em 7 de janeiro, dois dias antes de a família registrar um boletim de ocorrência sobre o desaparecimento do jovem.

O advogado Fabiano Ravagnani Junior informou que pediu à Justiça a liberdade provisória do casal. A defesa também estuda ingressar com pedido de habeas corpus, alegando legítima defesa – a tese é de que a mãe tentou se defender do filho, ao ser ameaçada por ele, e acabou esfaqueando o jovem.

O advogado falou à EPTV que o filho teria várias passagens e que a mãe se defendeu. “Ela se defendeu da agressão do próprio que tem várias passagens, boletins de ocorrência inclusive de tentativa de sufocar um irmãozinho menor de três anos, ela se defendeu e na luta corporal com o menor acabou ferindo o rapaz de morte, aí ela acordou o marido e resolveram levar o corpo para outro lugar para tentar ver se não aparecia o fato”, disse também entrevista a afilhada da Rede Globo.

O delegado que investiga o caso não gravou entrevista com a EPTV, porém informou que mesmo com a confissão da mãe a morte do jovem ainda não está esclarecida e que os trabalhos de investigação prosseguem.

Aqui o link para a matéria da EPTV.

Renato Chimirri/São Carlos em Rede – com informações do G1 Ribeirão Preto

Deixe uma resposta