SAÚDE | Prefeitura faz apelo aos médicos habilitados no processo seletivo

 

“Nós chamamos os médicos que passaram no concurso, abrimos um processo seletivo simplificado, e mesmo assim, não consigo completar o quadro da rede de urgência e emergência porque muitos médicos ainda não trouxeram a documentação”. O desabafo do prefeito Airton Garcia demonstra a dificuldade na contratação de médicos para trabalhar em São Carlos.  

Desde o dia 2 de março, a Prefeitura está contatando os médicos que passaram no processo seletivo simplificado. Além do Diário Oficial, funcionários da Secretaria de Administração e Gestão de Pessoas estão ligando, mandando e-mails e mensagens e até telegramas para que os médicos apresentem os documentos para assumirem os plantões. “Eu quero fazer um apelo aos médicos que demonstraram interesse pela vaga. Por favor, procurem a seção de recrutamento e seleção de servidores com os documentos que faltam. São Carlos está precisando desses médicos”, afirmou Airton.

A Prefeitura de São Carlos aguarda o comparecimento de 19 médicos de urgência e emergência que foram habilitados e convocados pelo processo seletivo simplificado. Todos eles têm alguma pendência em documentação. “Dez médicos não apresentaram nenhum documento. Outros não fizeram exame médico, falta comprovante bancário, carteira de trabalho. Apresentando o que falta, no outro dia o médico pode assumir o plantão”, contou o prefeito.

O Processo Seletivo Simplificado foi realizado em fevereiro. Os médicos foram convocados através do Diário Oficial do dia 02/03/2017. Dos 55 médicos habilitados e convocados, 21 estão trabalhando. 15 médicos não compareceram ou desistiram e 19 médicos estão em processo de contratação com pendências de documentos.

Hoje, para atender a rede de urgência e emergência no município são necessários pelo menos 98 médicos. Esse número pode diminuir com o aditivo de contrato, ou seja, um médico pode assumir até três plantões semanais.

Pelo concurso e processo seletivo, 37 médicos foram contratados para atender na UPA da Vila Prado e na Unidade de Estabilização 24 horas do Cidade Aracy. “Os médicos precisam assumir o emprego. Não posso permitir que as pessoas não sejam atendidas nas UPAs do município. A Prefeitura precisa reabrir a UPA do Santa Felícia. O atendimento na Vila Prado e no Cidade Aracy tem que ser de primeira, mas para isso a cidade precisa da colaboração dos médicos”, concluiu Airton Garcia. 

Deixe uma resposta