SÃO CARLOS | Prefeitura oferece tratamento odontológico ambulatorial e cirúrgico para pacientes especiais e hospitalizados

 

Com o objetivo de atender a indicação de tratamento odontológico dos pacientes portadores de necessidades especiais que não permitem atendimento clínico, pacientes acamados ou em estados mais graves que necessitem de cuidados em ambiente hospitalar, a Secretaria Municipal de Saúde, através do Complexo Regulador normatizou o fluxo de acolhimento e atendimento dos pacientes no ambulatório e hospital.

O paciente é identificado pela Atenção Básica (UBS, USF, APAE e Melhor em Casa) que irá referenciar se necessário, para o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) “Prof. Vilberto Adolfo Cattani”. No CEO depois da avaliação do médico anestesista são solicitados exames laboratoriais, realizados na unidade de Saúde mais próxima da residência do paciente e exames de imagem como raios-X panorâmico, de tórax, tomografia e eletrocardiograma (ECG).

Com os exames o paciente passa por uma consulta com o cirurgião buco maxilo Dr. Rafael Tavoni Pasciare, que realiza o atendimento hospitalar. São avaliados os exames e a necessidade de internação para a realização do procedimento cirúrgico. Para realizar a cirurgia o cuidador do paciente agenda a avaliação pré-anestésica e a cirurgia na Santa Casa. Depois da avaliação do pós-operatório e alta, o paciente passa a ser acompanhado pela unidade de referência (origem do atendimento).

Nos primeiros meses de 2017 foram realizados 16 atendimentos, atualmente 13 estão em fase de realização de exames, 9 aguardando cirurgia e houve também o registro de 18 abandonos (alguns pais desistiram e 2 pacientes faleceram).

Dirce Francisco, mãe e cuidadora do paciente Ruberty de 27 anos, referenciada ao CEO pela Unidade de Saúde da Família do Jardim São Carlos aprovou o atendimento do filho. “Eles fazem uma limpeza geral, escovação, bochecho, vê se tem cárie. O siso dele estava com problema e teve que extrair os quatro. O tratamento é ótimo, porque a equipe é especializada e a Dra Ariane trata dele com muito carinho, as meninas gostam dele, tratam bem, para mim é ótimo porque eu não preciso buscar o tratamento em outra cidade”, enfatiza.

Marizete Santana Oliveira mãe da Carolina, 20 anos, ouviu comentários sobre o tratamento especializado e procurou a rede pública. “Ouvi dizer que o tratamento era ótimo, que atende criança especial, eu me deslocava até Araraquara e aqui para mim é mais fácil, eu gosto do tratamento, ela gosta da equipe e o resultado é ótimo. Agora ela está sem cáries”, comemora.

A supervisora do CEO, Daniela Gonçalves, explica que há uma tentativa dos cirurgiões dentistas de tratar os pacientes portadores de necessidades especiais no posto de saúde. “Se o paciente não permitir será referenciado para o CEO, onde há uma dentista especialista no atendimento dos pacientes especiais. Ela faz nova tentativa de atendimento desse paciente. Se ele não permitir será encaminhado para o atendimento hospitalar”, explica.

Após o tratamento hospitalar o paciente é referenciado novamente para o CEO que entra em contato com a unidade básica indicadora de referência do paciente. Se houver necessidade de outra intervenção ocorre novo encaminhamento para o CEO para avaliação. O atendimento é feito também na APAE por duas dentistas da Prefeitura em consultório próprio da Associação.

“O resultado está sendo bom, as famílias elogiam, agradecem, porque esses pacientes eram esquecidos, não tinham tratamento, sofriam com dor, não conseguiam comer, estamos conseguindo ajudar”, ressalta Daniela Gonçalves.

Ariane Maria Blanco Minati, cirurgiã dentista do CEO, explica que os pacientes recebem tratamento periodontal básico, tratamento cirúrgico, endodôntico, restaurador e preventivo. “Percebemos que com o tempo as famílias, os responsáveis, criam vinculo com a equipe e acabam cuidando melhor também da dentição dos pacientes e em longo prazo há melhoria na qualidade da saúde bucal”.

Já o cirurgião buco maxilo Rafael Tavoni Pasciare, que aceitou o desafio de realizar os tratamentos e cirurgias dos pacientes pela rede pública na Santa Casa, lembra que os pacientes são encaminhados para o consultório quando o tratamento é ambulatorial sem anestesia geral e hospitalar quando o paciente não deixa realizar o procedimento na cadeira. Nos casos de maior complexidade o atendimento é feito sob anestesia geral. Na Santa Casa são feitos procedimentos como extrações dentárias, cirurgia de dente, terceiro molar, cirurgia de tumor na boca e profilaxia ou limpeza. São atendidos também os pacientes traumatizados com fratura e lesão de face e cirurgia de urgência.

“O resultado é gratificante, o pós-operatório está muito tranquilo, o paciente está mais aceitável e os familiares nos agradecem muito por estar fazendo esse trabalho porque o procedimento é trabalhoso e tem que se doar pelos pacientes”, diz Pasciare.

O secretário de Saúde disse que o serviço é de excelência. “É um serviço referenciado, mas que tem um trabalho único na rede pública, com profissionais capacitados e comprometidos. O próximo passo é arrumar um prédio próprio para o CEO”, garante Caco Colenci.

Atendimento no CEO

A equipe do CEO é composta por 13 cirurgiões dentistas, 9 auxiliadores de saúde bucal, 1 médico anestesista, 1 auxiliar administrativo e 1 telefonista. Recebe encaminhamentos de pacientes de 34 unidades de saúde (17 USF e 11 UBS), além de pacientes da APAE, modular (creche, triplo e quádruplo – atendimento nas escolas) e pacientes dos municípios de Ribeirão Bonito e Dourado. São realizadas em média 63 consultas por dia.  Até o mês de maio de 2017 o CEO já realizou 199 tratamentos de canal, 400 unidades de próteses, 698 procedimentos cirúrgicos, 621 procedimentos periodontais, 113 procedimentos de diagnóstico de lesões bucais, 544 procedimentos de atendimento a portadores de necessidades especiais.

Para realizar o atendimento odontológico especializado no CEO, o usuário precisa ser referenciado depois de já ter feito todos os procedimentos do limite de atuação das unidades de saúde da Atenção Básica.

Deixe uma resposta