MATÃO | Adeus ao Monsenhor Amador Romão; Dom Paulo Cezar preside Missa de Exéquias

Na manhã desta terça-feira, (12), Dom Paulo Cezar presidiu a Missa de Exéquias do Monsenhor Amador Romão. A Missa foi concelebrada, por Dom Francisco Carlos da Silva, Bispo Diocesano de Lins, pelo Governo da Diocese acompanhado de grande parte do Clero Diocesano, a celebração contou ainda com a presença dos Diáconos permanentes e transitórios, seminaristas de filosofia de nossa Diocese e todo o povo de matão.

A Celebração foi transmitida pelo Portal Hora 1, com retransmissão pelas rádios: SDS 93,3 FM e pela Educadora FM 104.9 .

Na presidência da celebração de exéquias de Mons. Amador Ramon, Dom Paulo Cezar Costa, nosso Bispo Diocesano, iniciou sua homilia agradecendo a presença de Dom Francisco Carlos da Silva, Bispo da Diocese de Lins, e aos familiares, ao padre Jorge João Aparecido Nahra, Pároco da Paróquia Senhor Bom Jesus e Vigário Episcopal do Vicariato Senhor Bom Jesus, e a comunidade da Paróquia Senhor Bom Jesus, da cidade de Matão, pelo zelo e cuidado com o Mons. nestes anos de serviço ao povo matonense.

“Estamos, nesta celebração, entregando Mons. Amador à misericórdia de Deus. É um momento de tristeza pela partida deste nosso irmão. Nossa família diocesana está triste.” – salientando que esta tristeza “é uma tristeza regada pela fé que gera em nós a Esperança”- Disse Dom Paulo.

Sobre a trajetória de vida de Mons. Amador Dom Paulo fez um resgate de sua biografia e ressaltou: “estamos entregando nosso irmão, Pe. Amador, que na sua vida trouxe a marca de Cristo pelo batismo, não apenas pelo Batismo, mas foi configurado a Cristo através de sua Ordenação Sacerdotal. Tornou-se outro Cristo” – afirmou o Bispo.

“Que a vida e a história de Mons. Amador seja nossa oferta ao Senhor nesta Celebração. Queremos que o último ato nosso seja oferece-lo ao Senhor, como oferta, como vida doada, como incenso agradável ao Senhor.” – assim concluiu sua homilia. Na qual, ainda destacou que “o sacerdote é, evidentemente, homem da Ressurreição, porque cada sacramento realizado é celebração da Ressurreição.”

Dom Francisco, destacou : “Pe Amador conseguiu cultivar e semear a Palavra de Deus (…) sem falar nas vocações que era o trabalho e apoio que ele dava de maneira especial (…) queremos agradecer a Deus por termos convivido com este zeloso pastor (…) como discípulo missionário ele entregou a sua existência a Deus (…) Que Deus o acolha”, concluiu.

Padre Jorge João Aparecido Nahra, expressou sua homenagem ao Monsenhor:

Após o Bispo, junto com os padres, realizarem a última oração diante do corpo do Monsenhor Amador, o conduziram para o sepultamento ao lado do presbitério da Igreja do Senhor Bom Jesus na cidade de Matão.

A Missa de Sétimo dia do Monsenhor Amador Romão, está marcada para acontecer no próximo Domingo, 17, às 19h, na Paróquia de Senhor Bom Jesus, na cidade de Matão.

Deixe uma resposta