SÃO CARLOS | A pedido de Lucão, Prefeitura passa a agendar mamografias também nas UBSs e USFs

Após críticas feitas pelo vereador e presidente da Comissão Permanente de Saúde e Promoção Social da Câmara, Lucão Fernandes (PMDB), em sua fala na sessão legislativa da última terça-feira (3), sobre o agendamento de exames na Campanha do Outubro Rosa, a Prefeitura informou que irá agendar mamografias sem pedido médico.

Agora mulheres com idade entre 40 e 69 anos podem solicitar o pedido de mamografia nas consultas de enfermagem em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades de Saúde da Família (USF) do município. Nessa faixa etária, a orientação é que se faça o exame a cada dois anos, ou no máximo dois anos.

Lucão ressalta a importância de facilitar o acesso aos exames de mama, fundamentais para as mulheres. “As mulheres de nossa cidade que se encaixam na faixa etária devem fazer a mamografia, método eficaz que permite rastrear a saúde dessas mulheres. E a saúde no nosso município vem enfrentando muitas dificuldades, com o fechamento da UPA, por exemplo, portanto é muito importante que seja melhorado o que está ao nosso alcance. E a Câmara tem cobrado as melhorias do Poder Executivo”, destacou.

EXAME 

A mamografia é o método preconizado para rastreamento na rotina da atenção integral à saúde da mulher. É o único exame que apresenta eficácia comprovada na redução da mortalidade do câncer de mama. A mamografia de rastreamento não é indicada para mulheres com menos de 50 anos, pois antes dessa idade as mamas são mais firmes e com menos gordura (densas), o que torna o exame limitado para identificar as alterações, gerando muitos resultados incorretos. “Nas unidades de saúde, as mulheres na faixa etária alvo também são convidadas para exames periódicos. Em média, a Secretaria de Saúde disponibiliza aproximadamente 800 exames por mês, mas em torno de 500 são realizados”, afirmou o secretário de Saúde, Caco Colenci.

NÚMEROS 

Os fatores de risco elevado de câncer de mama inclui história familiar de câncer de mama em parente de primeiro grau antes dos 50 anos ou de câncer bilateral ou de ovário em qualquer idade; história familiar de câncer de mama masculino; e diagnóstico histopatológico de lesão mamária. Além dos fatores genéticos, há outros fatores de risco como cigarro e consumo excessivo de álcool.

Estima-se que 30% dos casos de câncer de mama possam ser evitados quando são adotadas práticas saudáveis como a pratica atividade física, alimentação saudável; peso corporal adequado, o não consumo de bebidas alcoólicas e amamentação.

Ao identificarem alterações persistentes nas mamas, as mulheres devem procurar imediatamente um serviço para avaliação diagnóstica. (Com informações da Secretaria Municipal de Comunicação)

Deixe uma resposta