ESTUDO | Região Central tem bons indicadores em Educação, aponta IPRS

É o que mostra o IPRS da região, elaborado pela Fundação Seade em parceria com a Assembleia Legislativa de SP

A Região Central do Estado registrou aumento nos indicadores que medem a escolaridade dos municípios, que estão acima da média estadual. Os dados foram apresentados nesta terça-feira (24/10), na Câmara Municipal de Araraquara. As informações são do Índice Paulista de Responsabilidade Social (IPRS), um indicador reconhecido pela ONU, que aponta a qualidade de vida nos 645 municípios do Estado.

O deputado Roberto Massafera (PSDB) destacou a melhora da região em vários setores. “Em nove anos nós verificamos a evolução de cada indicador – longevidade, escolaridade e riqueza. E, ao mesmo tempo, foram apontadas as áreas em que não estamos muito bem. O índice auxilia no alcance das nossas deficiências”, declarou.

A deputada Márcia Lia (PT) também elogiou o desempenho das cidades. “É uma satisfação observar que a nossa região tem índices superiores à média do Estado. Os dados são extremamente importantes para pautar a elaboração de políticas públicas. No evento, inclusive, fizemos uma sugestão para que no próximo índice se possa mensurar os números quem medem a saúde dos municípios.”

Segundo o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Cauê Macris (PSDB), o IPRS vai auxiliar os gestores das cidades com indicadores mais baixos a rever os investimentos. “As duas principais cidades da região Central – Araraquara e São Carlos – tiveram ações muito positivas. Isso acaba influenciando os demais municípios para que busquem melhorar os seus índices. Vamos aguardar para que os prefeitos tomem conhecimento dos dados e os utilizem para melhorar a qualidade de vida do povo da região”.

Índice Paulista de Responsabilidade Social (IPRS) 

O IPRS monitora a evolução das condições de vida da população dos municípios. As informações são fornecidas a cada dois anos aos gestores públicos e podem ser utilizadas para nortear a implementação de políticas públicas em áreas mais vulneráveis. O indicador nasceu por demanda da Assembleia Legislativa de São Paulo e é elaborado pela Fundação Seade. O estudo, realizado com registros oficiais administrativos, é estritamente técnico e trabalha com um número maior de variáveis, que permite melhor detalhamento das informações.

Deixe uma resposta