EVENTO | Escola presta homenagem no Dia Internacional da Mulher

Na última quarta-feira (8), foi comemorado o Dia Internacional da Mulher e a Escola Municipal Julio Benedicto Mendes prestou uma homenagem às mulheres da Unidade de Ensino.

No evento, os alunos dos 3º, 4º e 5º anos cantaram músicas e declamaram poemas que faziam referência à importância da mulher.

As homenageadas foram as professoras Márcia, Mara, Ana Cláudia, Angélica, Angela, Silvana, Marlene, Cristina, Fernanda, Vânia Fresca e Daniela. Além das docentes, todas as funcionárias receberam o carinho da direção, sendo as colaboradoras Janise, Sueli, Donara, Kátia, Janaina, Paula, Jeizibell, Lucélia, Cecília, Bianka, Josenise, Leda, Milene, Cristina e Carla.

De acordo com o diretor Alexandre Moraes Gaspar, o prédio escolar foi enfeitado para a merecida homenagem, onde ele apresentou um vídeo para homenageá-las e entregou uma rosa para as mulheres ali presentes. “A rotina da mulher é um grande quebra-cabeça com uma quantidade incrível de peças. Ela tem que encontrar tempo, disposição e flexibilidade para cuidar da casa, dar atenção aos filhos, dedicar-se ao marido, investir em uma carreira de sucesso, manter-se bonita e atraente. Realizar essas e outras atividades é um constante desafio, mas elas conseguem superar, dia após dia, e com brilhantismo” destacou o diretor.

Gaspar ressalta também o envolvimento e dedicação de todos os funcionários para que o ambiente escolar ficasse alegre e atrativo nesta data especial. “Os professores trabalharam com as crianças sobre a importância desta data, a valorização da mulher entre outras questões importantes”, finalizou o diretor.

  Dia Internacional da Mulher

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para 10 horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, em um ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o “Dia Internacional da Mulher”, em homenagem as mulheres que morreram na fábrica em 1857. Mas somente no ano de 1975, através de um decreto, a data foi oficializada pela ONU (Organização das Nações Unidas).

Ao ser criada esta data, não se pretendia apenas comemorar. Na maioria dos países, realizam-se conferências, debates e reuniões cujo objetivo é discutir o papel da mulher na sociedade atual. O esforço é para tentar diminuir e, quem sabe um dia terminar, com o preconceito e a desvalorização da mulher.

Mesmo com todos os avanços, elas ainda sofrem, em muitos locais, com salários baixos, violência masculina, jornada excessiva de trabalho e desvantagens na carreira profissional. Muito foi conquistado, mas muito ainda há para ser modificado nesta história.

 

Deixe uma resposta