SAÚDE | SMU da Santa Casa tem 100% de aumento no volume de atendimento no feriado prolongado

Nos últimos três dias foram atendidas 732 pessoas na urgência hospital; o número representa o dobro da média história do setor

O volume de pacientes que tem procurado o Serviço Médico de Urgência (SMU) da Santa Casa de São Carlos para atendimento média cresceu perto de 70% em 2017, quando comparado a médica histórica do setor.

Neste final de semana de feriado prolongado foram atendidos de sexta-feira, 14, até às 18 horas desta segunda-feira, 17, exatas 732 pessoas. Esse número representa o dobro de atendimento da média histórica do SMU que é de 100 pacientes dia.

Com mais pessoas em busca de solução para os problemas de saúde, a tendência é que o tempo de espera para o atendimento fique maior, como está acontecendo no SMU.

Em 2017 o SMU registrou recordes no número de atendimento como o ocorrido em 27 de março com 259 pacientes atendidos no setor.

Outro dado

Quando se compara o volume de atendimento dos pacientes classificados com a cor verde (casos menos graves), determinada pelo protocolo Manchester, que faz a classificação de risco, o número de atendimento foi de aproximadamente 8 mil em 2015, passando para 17 mil em 2016 e atingindo 25,3 mil em 2017.

Compreensão

Nesse sentido a Administração da Santa Casa pede que a população compreenda e tenha paciência quando o tempo de espera for maior que o determinado pelo protocolo Manchester.

Prioridade

A Santa Casa é referência para atendimentos de Emergência e Urgência que equivalem à classificação com as pulseiras: vermelha, laranja e amarela. Esses casos ganham prioridade, em relação aos casos menos graves. Vale ressaltar, que o tempo que a equipe médica dedica aos casos classificados como: amarelos, laranjas e vermelhos é significativamente maior.

As classificações em verde e azul são as que não têm risco iminente de agravamento da doença e pode aguardar mais tempo em relação aos outros casos.

Até que a prefeitura consiga adequar o funcionamento das Unidades de Pronto Atendimento (UPA) o volume de pacientes acaba migrando obrigatoriamente para a Santa Casa, o que poderá aumentar o tempo de espera de casos menos graves.

Deixe uma resposta