SAÚDE | Quase 5 mil pessoas já fizeram o exame preventivo de câncer bucal

Ir ao dentista regularmente e fazer avaliação da Saúde Bucal faz a diferença. É com este objetivo que as unidades de Saúde de São Carlos, além da vacinação contra a gripe, estão realizando também a Campanha de Prevenção e Diagnóstico Precoce do Câncer de Boca.

O atendimento é feito para pessoas a partir dos 20 anos de idade em todas as unidades de saúde, onde as equipes fazem orientação em relação ao autoexame, higiene bucal e das próteses, avaliação de lesões e, se necessário, encaminhamento para o Centro de Especialidades Odontológicas (CEO) para diagnóstico definitivo.

Segundo a Secretaria Municipal de Saúde 4.813 pessoas já realizaram o exame preventivo de câncer bucal em São Carlos desde o início desse ano. Do total de pacientes examinados, 249 apresentaram lesões potencialmente malignas e foram encaminhados para retriagem nas unidades de saúde. Outros 30 pacientes foram encaminhados para o CEO para biopsia.

Além do autoexame, realizado gratuitamente, também é entregue para a população o Guia do Autoexame Bucal com orientações de como se prevenir, quais são os principais riscos e como fazer a higienização das próteses (dentaduras e pontes móveis). O paciente leva para casa também, um kit contendo escova dental, protetor labial para prevenir a exposição solar e escova para higienizar as próteses.

É importante lembrar que nem toda alteração é câncer, mas a consulta com o dentista é importante para o diagnóstico correto e precoce. A população vai poder conhecer, por exemplo, que entre os fatores de risco estão o fumo, o álcool, a exposição solar excessiva, a hereditariedade (câncer na família) e doenças sistêmicas como a cirrose hepática, diabetes, sífilis, pacientes transplantados, anemia crônica, entre outras.

Com o autoexame a população vai aprender a sentir como é a boca com saúde, para detectar facilmente o aparecimento de qualquer lesão ou alteração no futuro. Ele é rápido, não dói e deve ser feito a cada 6 meses incluindo quem não tem dentes ou usa prótese (dentaduras ou pontes). Se o paciente encontrar alguma ferida, mancha (branca, vermelha, castanha, preta ou roxa), algum sangramento, caroço, verruga, aftas que não cicatrizem entre 10 a 15 dias (doendo ou não) ou mesmo se há dificuldade de engolir, falar ou movimentar a língua deve procurar um dentista na Unidade Básica de Saúde ou Unidade de Saúde da Família mais próxima de sua residência, para ser avaliado.

A cirurgiã dentista Milvia Marrara diz quais são os fatores de risco mais conhecidos para o desenvolvimento do câncer bucal. “O tabaco (de acordo com a Organização Mundial da Saúde, cerca de 90% dos pacientes diagnosticados com câncer de boca eram tabagistas), o etilismo (o consumo regular de bebidas alcoólicas aumenta o risco de desenvolver câncer de boca) e a associação entre cigarro e bebidas alcoólicas aumenta 38 vezes o risco para câncer de boca”.

Outra novidade é o vírus HPV como fator de risco. Pesquisas comprovam que o vírus HPV está relacionado a alguns casos de câncer de boca e também a radiação solar, porque a exposição ao sol sem proteção representa um risco para o câncer de lábios.

“A orientação é que se faça o exame porque quanto mais cedo se faz a prevenção pode se iniciar os cuidados necessários e evitar evolução das lesões, porque no câncer de boca a mutilação é muito grande e a qualidade de vida do paciente fica muito prejudicada. Nós cirurgiões dentistas quando detectamos uma lesão inicial ou avançada, que tem chance de ser um câncer bucal, encaminhamos para o Centro de Especialidades Odontológicas, lá tem o especialista que vai examinar, fazer a biópsia e caso positivo já é feito o encaminhado para o oncológico”, disse Milvia Marrara.

Deixe uma resposta