SAÚDE | Santa Casa de São Carlos realiza quarta captação de múltiplos órgãos

Os rins de paciente com morte encefálica constatada foram levados ao Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto para transplante

A Comissão de Captação de Múltiplos Órgãos e Tecidos da Santa Casa realiza na manhã dessa sextas-feiras, 14 de julho, a captação dos rins de uma paciente de 48 anos, que teve morte encefálica confirmada na noite de ontem.

A cirurgia acontece nesse momento no Centro Cirúrgico da Santa Casa. Essa é a quarta captação de múltiplos órgãos do ano na Santa Casa de São Carlos.

Com a solidariedade da família duas pessoas poderão sair da fila de espera do transplante renal.

A Mesa Administrativa da Santa Casa de se solidariza com a família pela perda de um ente querido, mas valoriza o ato nobre da doação, já que outras famílias serão beneficiadas com o gesto de amor e respeito ao próximo.

O TRABALHO

A Comissão da Santa Casa já conseguiu realizar desde 2009, quando foi criada, 14 captações de múltiplos órgãos. Em 2016, anos com mais volume foram 5. Agora, em 2016 nos seis primeiros meses do ano atingimos quatro captações, inclusive com a primeira retirada de um pulmão e uma segunda oportunidade de captar um coração ocorrida em março, ressalta o médico e coordenador da Comissão de Captação de Órgãos da Santa Casa de São Carlos, Ivan Carlo de Manzano Linjardi.

Só de córneas foram captadas 72 nos últimos anos. Em 2017 já foram 15 córneas para transplante.

O Ministério da Saúde ressalta que hoje, pela legislação brasileira, a retirada de órgãos e tecidos de pessoas com morte encefálica comprovada só pode acontecer após a autorização da família. Por isso, quem tem interesse em doar órgãos deve manter a família avisada, diz o governo.

“O passo principal para você se tornar um doador é conversar com a sua família e deixar bem claro o seu desejo. Não é necessário deixar nada por escrito. Porém, os familiares devem se comprometer a autorizar a doação por escrito após a morte”, ressaltou o médico.

Linjardi ressaltou que a Santa Casa está preparada tecnicamente para que as equipes de captação façam os procedimentos cirúrgicos. Entretanto, reforçou o médico: o trabalho da Comissão só teve sucesso nas oportunidades de captação de múltiplos órgãos, porque as famílias estão informadas sobre a importância da solidariedade da doação.

“A conscientização da população sobre a importância desse ato de doação também é muito necessária para alcançar o objetivo de salvar vidas”, comentou Linjardi.

As enfermeiras Maria Thereza Lazzarini e Cibele Lourdes Rubert, fazem parte da Comissão de Captação de Órgãos da Santa Casa de São Carlos.

O Doador

Se você tem intenção de ser um doador, fale com a sua família e deixe bem claro este seu desejo. Não é necessário deixar nada escrito. Após a sua morte, os familiares é que realizam a doação. Na hora certa, eles saberão respeitar o seu desejo.

Deixe uma resposta